O feitiço de Chris Paul


No jogo desta madrugada frente ao Denver Nuggets. Repare-se no drible e na finta de passe que o base dos Clippers faz para baralhar o adversário, para numa segunda acção subir e lançar com êxito.

Chris Paul e o seu colega de equipa Blake Griffin são as grandes incógnitas para o mercado de verão da próxima época visto que se poderão tornar free-agents se assim o desejarem. Apesar de ambos terem mais uma temporada opcional de contrato com o franchise de Los Angeles, no final da época, os dois jogadores possuem a prerrogativa de accionar ou não essa temporada opcional. Se não pretenderem accionar essa cláusula, poderão transferir-se livremente para qualquer outro franchise da Liga. Pretendentes à dupla não faltam e eu creio que a equipa que quiser levar o base também terá todo o interesse em levar Griffin pela química que foi construída pelos dois jogadores nos últimos 6 anos em LA.

Os dois jogadores são as grandes incógnitas do verão porque tomando como certas e seguras as renovações de Kevin Durant e Steph Curry indiferentemente do rendimento e dos resultados que vierem a ser realizados pelos Golden State Warriors nos playoffs que se avizinham, prolongando pelo menos por mais uns anos o prazo de vida desta geração da equipa californiana, e tomando como um dado adquirido por outro lado que o base não caminha para novo e terá em LA poucas hipóteses de se sagrar campeão pela superioridade que é colocada pelas equipas de Oakland e San Antonio, tais motivos levarão Paul a equacionar a sua permanência na equipa e quiçá até na conferência oeste da competição. Paul deseja há muitos anos ser campeão e a equipa de LA não tem conseguido criar uma equipa que lhe permita cumprir esse desiderato.

Quem quiser levar os dois terá que ir puxar dos cordões à bolsa. Os dois jogadores não custarão menos do que os seus actuais contratos (Paul terá um salário de 24,2 milhões de dólares na próxima temporada sendo expectável que possa assinar um pacote de 3 anos com outra equipa no valor de 70 a 75 milhões de euros por 3 temporadas ou de cerca de 90 milhões por 4 e Griffin, um salário de 21,2 milhões na próxima temporada e um pacote a rondar seguramente os 100 milhões por 4 ou 5 temporadas) e precisarão que a equipa que os queira levar tenha de puxar de mais um punhado de dólares para reforçar as suas equipas com um um poste alto e com um extremo de posição 3 que dêem algumas garantias para a construção de um colectivo forte.

Neste momento, olhando para os actuais elencos da NBA, para as pretensões das restantes 29 equipas e para os caps salariais que estão cativos para a próxima temporada, existem poucas equipas que possam gastar (incluindo as respectivas taxas de luxo que são cobradas quando uma equipa ultrapassa o cap salarial definido pela liga para a temporada) 50 a 70 milhões de dólares na aquisição destes jogadores e de mais um ou dois jogadores para as posições acima definidas, a não ser que possuam precisamente esses jogadores nos seus roosters e procurem exactamente uma dupla para as posições de Paul e Griffin. Assim à primeira vista, apenas Dallas e Philadelphia possuem neste momento capacidades financeiras para ir buscar os dois jogadores. No entanto, ambas as equipas apresentam neste momento um cenário competitivo muito limitado e pouco aprazível para os jogadores. Se fizerem os moves correctos, Sacramento (caso Rudy Gay decida libertar com a sua player option cerca de 14,5M) Indiana (pode libertar 17M com a saída de 4 jogadores não-essenciais), Denver (se Gallinari não activar a sua player option) e até Chicago (cenário pouco provável porque é pouco expectável que Dwayne Wade não accione a sua player option; mesmo assim os Bulls tem recursos financeiros para ir buscar os dois jogadores, ficando com um cap não inferior a 110 milhões, o que obrigaria a direcção da equipa mais rica da NBA a ter que diminuir os lucros do seu proprietário para finalmente dar um passo em direcção ao título) também podem ter capacidades financeiras para apresentar um bom projecto aos dois jogadores. Não creio é que Paul e Griffin queiram ir para equipas muito pouco competitivas como são neste momento os franchises de Sacramento e Denver.

Noutro prisma, os Clippers também estão a fazer de tudo para manter os jogadores. Nos últimos dias tem-se falado que o GM da equipa californiana está a pensar dotá-la de jogadores como Isaiah Thomas, JJ Redick, Gordon Hayward ou até mesmo Danilo Galinari.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s