Declarações muito perigosas


Em vésperas de eleições para a presidência do clube, o Correio da Manhã decidiu (ou terá o candidato pago?) dar palco ao actual presidente do Vitória de Setúbal. Num trecho da entrevista, Fernando Oliveira decidiu proferir a seguinte afirmação:

“Precisamos sempre de dinheiro pois pagamos dívidas que têm 12 anos. As receitas são menores. As receitas de bilheteira só rendem se for o Benfica e o Sporting se estiver bem, o FC Porto nem conta. Mas é o Benfica que é o nosso abono de família. E ficamos por aí”

O problema é mesmo esse: as dívidas. Grossa fatia em débito ao estado, dividas contraídas durante o mandato de Fernando Oliveira. As dívidas do clube ao Estado (AT, Segurança Social) assim como o conhecimento geral de que este clube é um dos que coloca os seus jogadores a assinar fichas para a Liga em como até aquela data receberam tudo a que contratualmente têm direito levam-me a questionar como é que este clube conseguiu escapar durante tantos anos à despromoção para os campeonatos distritais por via da secretaria ou da justiça, desportiva ou administrativa. Mas não é sobre isso que vos venho escrever. Essas dou de barato assim como dou de barato a protecção (a roçar a ilegalidade) que a Câmara Municipal de Setúbal deu ao clube no “caso dos terrenos” do Bonfim”. No Vitória de Setúbal, entre o deve e o haver ainda sobre algum bocado… para o ser presidente comportar-se desta maneira em público como um verdadeiro sacana!

Compreendo o argumento de que só o Benfica é que enche os estádios dos pequenos em Portugal mas, por outro lado, essa realidade não é a realidade do Bonfim. Sinceramente nunca vi o Estádio do Bonfim cheio. E não, aquele patrocínio da Superbock nas cadeiras não é um acto de ilusionismo visual…

Assim como também tenho visto desde há 2 anos a esta parte uma capacidade ímpar por parte dos adeptos do Sporting para compor os estádios das equipas pequenas. E não, não se trata de nenhuma mentira…

Também não é nenhuma mentira o que me dei ao trabalho de investigar para refutar as palavras do presidente do Vitória de Setúbal. As dívidas do clube, ou seja, as suas limitações financeiras tornam o Setúbal um clube que vive sistematicamente da caridade dos grandes e neste parâmetro, não é só “do seu abono de família”, o Benfica. Senão vejamos o número de emprestados que o clube recebeu e a sua origem nas últimas 10 temporadas:

Sporting: Ryan Gauld, André Geraldes, Rúben Semedo, Salim Cissé, Betinho, João Mário, Rui Fonte, André Marques, Carlos Saleiro, Marcelo Labarthe (10 jogadores)
Benfica: João Carvalho, Nuno Santos, Rúben Lima (3 jogadores)
Porto: Zé Manuel, Mikel Agu, Ricardo Nunes, Ivo Pinto, Hélder Barbosa, André Pinto, Bruno Vale, Leandrinho, Bruno Moraes, Bruno Gama, Claudio Pitbull (11 jogadores)
Chelsea: Ulisses Dávila, João Rodrigues
Lechia: Maciej Makusewski,
PAOK: Demetrius Pelkas,
Braga: Rambé, Mario Felgueiras, Ney Santos, Pavel Kieszek, Eduardo, Filipe Gonçalves, Matheus (7 jogadores)
Barra FC: Yann Rolim
Sporting de Cristal: Luis Advincula
São Paulo: Júnior Schmidt
Hoffenheim: Júnior Ponce
Tacuary: Carlos Servin
Audax: Rafael Martins
Macaé: Bruno Turco
Maccabi Haifa: Alex Zahavi
Everton: João Silva
Vitória de Guimarães: Tiago Targino, William
Brasa: Guilherme
Anápolis Goiás: Laionel, Mateus Borges,
Goiás: Danilo Portugal,
Songsii: Suk
Wisla Krakovia: André Barreto

A lista de 51 jogadores (5 emprestados por temporada em média) é longa e os mecenas são mais que muitos… os três que emprestaram mais foram Porto, Sporting e Braga com um total de 28 jogadores. O Benfica, nos últimos 10 anos emprestou 3 jogadores ao clube sadino. As dívidas assim obrigaram o clube a ter que pedir mais aos mecenas mas mesmo assim, na cabeça de Fernando Oliveira, tal facto não dá direito a qualquer sentimento de gratidão… porque o Benfica é que é o “abono de família”…

Analisei também as transferências do clube na última década. Eis os resultados das vendas sadinas das últimas 10 temporadas:

Benfica: André Horta (400 mil euros),
FC Porto: Suk (1,5 milhões), Aly Cissokho (300 mil)
Braga: Pedro Tiba (500 mil euros)
Málaga: Ricardo Horta (500 mil euros)
Valência: Ruben Vezo (2,05 milhões de euros)
Panathinaikos: Zeca (380 mil euros)
AEK: Edinho (350 mil + 150 mil por um empréstimo)
Universidad Católica: Álvaro Fernandez (105 mil pagos pelo empréstimo)

Como se pode ver, o Porto deu a ganhar ao Setúbal 4 vezes mais que o Benfica. Mas o abono de família é o Benfica. É muito giro para o presidente do Vitória de Setúbal afirmar o que afirmou e andar de chapéu na mão de clube em clube a pedir jogadores e a pedir que lhe comprem jogadores. O que pode acontecer é que provavelmente não irá receber mais emprestados do Porto, do Braga e do Sporting. Que vá buscar ao seu abono de família, ao Benfica!

Um pensamento em “Declarações muito perigosas”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s