O momento da verdade na Volta ao País Basco


Que bela etapa rainha no País Basco. Alejandro Valverde coroou-se finalmente rei da prova basca (o espanhol nunca tinha vencido a geral individual da prova) na chegada a Arrate (Eibar) numa etapa em que a espectacularidade só apareceu finalmente na última das 6 subidas categorizadas do dia. Esta prova ficou efectivamente marcada pela vontade traçada por parte de todos os candidatos em poupar esforços para poderem discutir a geral individual nas últimas duas etapas da prova. No muro final, como veio a admitir Alejandro Valverde no final da etapa, o espanhol tentou atacar mas os seus adversários tornaram o ambiente muito difícil para o ciclista espanhol. Um deles foi o trepador canadiano Michael Woods da Cannondale, ciclista que já se tinha mostrado noutras abordagens montanhosas da prova. Outro foi o sul-africano Louis Mentjes da UAE, ciclista que fez a corrida literalmente de trás para a frente. A ambos tiro o meu chapéu pela coragem demonstrada nos seus ataques. Pode-se dizer que tiraram do sério todos os candidatos.


O dia ficou marcado por uma fuga inócua. Dessa fuga, o último a resistir foi o espanhol Omar Fraille da Dimension Data. A equipa sul-africana, equipa que tinha perdido o seu líder Stephen Cummings no dia anterior devido a uma queda, apostou em Fraille, um trepador muito interessante que será em breve na minha opinião um dos grandes nomes do pelotão internacional, para ver se conseguia sacar pelo menos a vitória na etapa rainha da prova. Fraille acabaria por ser apanhado com facilidade pela Orica de Simon Yates. Os australianos estiveram com a sua equipa na frente do pelotão durante toda a tirada, não vendo o seu esforço recompensado pelo seu chefe-de-fila no final. Yates andou para trás e para a frente e chegou inclusive a ir para a frente do grupo de Valverde e Contador a meio da subida final para apaziguar a excitação dos contenders de forma a tentar levar a coisa para um sprint no final. Acabaria por pagar caro o esforço, fechando a etapa a 15 segundos de Alejandro Valverde.

Os grandes animadores da subida final acabaram por ser Michael Woods e Louis Mentjes. O canadiano atacou primeiro. O sul-africano da UAE\Emirates não demorou muito a sair do grupo principal para fazer a junção ao ciclista canadiano. Com a saída de Mentjes, Valverde e Contador foram obrigados a mudar de estratégia e a procurar junção entre grupos. Feita a junção juntamente com a “lapa” Rigoberto Uran (Cannondale), com Bardet, Samuel Sanchez (BMC) Contador, Jon Izaguirre (Bahrein-Mérida), Simon Yates e Sérgio Henao (que viria a falhar na ponta final), o espanhol levou a sua corrida até ao desfecho que mais lhe interessava, cortando a linha de meta na primeira posição sem ter que verdadeiramente lançar-se ao sprint. É certo que pelo meio o ciclista também beneficiou de uma pontinha de sorte, ou melhor, de uma pontinha de azar de Samuel Sanchez. O espanhol tentou a sua sorte nos quilómetros finais, lançando um ataque demolidor. Para seu azar, quando até poderia estar a trabalhar para a liderança, o ciclista da BMC acabou por ser vítima de uma queda aparatosa (e muito esquisita, diga-se) que o deixou muito maltratado. Se Sanchez tivesse vencido a tirada, estaria decerto na discussão da prova no contrarelógio final.

Os grandes derrotados do dia acabaram por ser Simon Yates (devia ter feito mais na subida final), Warren Barguil (como nas etapas anteriores tinha-se mostrado em grande forma na frente, pensei que o ciclista gaules da Sunweb pudesse discutir a vitória na etapa junto dos melhores), o próprio Alberto Contador porque não fez nada para ganhar a etapa, Primoz Roglic (o esforço da etapa anterior valeu-lhe um trambolhão na classificação terminando com 1 minuto e 11 segundos de atraso) e em certa parte o polaco Michal Kwiatkowski da Sky por culpa de mais uma avaria mecânica na subida final, facto que o impediu de estar na frente para discutir a prova. A Sky bem merecia que o polaco estivesse no momento da decisão da corrida pelo trabalho que foi elaborando ao longo da semana.

Sem vantagem para Bardet, Uran, Michael Woods e Louis Mentjes (todos ciclistas inferiores no que concerne ao departamento de contrarelógio) as maiores ameaças para Alejandro Valverde na luta contra o relógio nos 27 km que foram disputados hoje (6 deles em subida) seria Alberto Contador. Os 3 segundos de diferença na geral acabavam portanto por ser uma espécie de vantagem nula que obrigaria Valverde a esfarrapar-se no crono e uma dose de moral para El Pistolero, ainda para mais quando o crono tinha uma ascenção prolongada pelo meio. Como El Pistolero costuma dar-se muito bem com cronoescaladas, o contrarelógio ia decerto jogar-se ao segundo. No entanto, Jon Izaguirre, a 15 segundos do seu antigo colega de equipa, poderia também protagonizar uma surpresa.

A coisa esteve bastante negra para o lado do super corredor da Movistar. Na passagem pelo ponto intermédio, Valverde estava a perder 9 segundos para Alberto Contador, o que permitia ao espanhol a liderança virtual da amarela por 6 segundos. O espanhol teve que por o prego a fundo nos últimos quilómetros para arrebatar a amarela e o seu primeiro (e provavelmente único) beret da carreira.

Jon Izaguirre portou-se bem tal como previa e acabou por sacar um 3º lugar na etapa a 15 segundos de Primoz Roglic. O pódio na etapa valeu ao ciclista da Bahrein-Mérida a presença no pódio final da prova. Já o esloveno venceu a sua segunda tirada da prova e é pena que não tenha conseguido chegar junto dos melhores na etapa de ontem. Se o tivesse feito, hoje estaria a celebrar a sua segunda vitória na geral individual em provas World Tour. No entanto, as duas vitórias na prova cimentam ainda mais o estatuto do corredor na sua equipa, a Lotto-Jumbo-NL, e deixam no ar um certo mistério para as provas de 3 semanas. Estou curioso para perceber se Roglic terá ou não estofo para começar a intrometer-se na luta pelos lugares cimeiros das provas de 3 semanas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s