Michele Scarponi (1979-2017)


O mundo do ciclismo acordou em choque com a notícia do falecimento de Michele Scarponi. O campeoníssimo italiano de 37 anos faleceu durante esta manhã, vítima de um atropelamento quando realizava o seu treino matinal. Ainda ontem o corredor transalpino da Astana tinha finalizado a sua participação no Tour of the Alps com um honroso 4º lugar e com uma vitória em etapa, algo que lhe escapava desde 2013.

A notícia do falecimento de Scarponi é uma notícia que obviamente me entristece visto que um dos ciclistas que mais admirei nos últimos anos e em quem depositava algumas esperanças para a próxima edição do Giro de Itália, prova que este ganhou em 2011 quando corria na extinta Lampre. Ainda na segunda-feira escrevi a propósito da sua vitória no Tour of the Alps que acreditava que este poderia lutar por um top 10 na maior prova do calendário velocipédico transalpino: “A vitória do italiano é um bom prenúncio para as etapas de média e alta montanha que se seguem e é de certa forma sinal que Scarponi quer preparar bem a sua participação no Giro para quem sabe tentar batalhar por um lugar no top 10.”

Para a história fica um corredor muito completo, um verdadeiro all-arounder que combinava bem várias características: bom trepador, bom puncheur e bom finalizador de etapas. Isso permitia-lhe lutar por corridas de 1 semana, por corridas de 3 semanas e por clássicas de 1 dia.

Dono de um fantástico palmarés aos 37 anos, palmarés que inclui 38 vitórias divididas por 25 vitórias em etapas, 8 vitórias em gerais individuais (Giro de Itália, Giro del Trentino, Volta à Catalunha, Tirreno-Adriático) e 4 vitórias em classificações por pontos, entre 2009 e 2011, Michele Scarponi atingiu o topo do ciclismo mundial. Foi durante esse período que o ciclista trocou a Androni, equipa pela qual correu durante 2 temporadas pela Lampre, equipa que liderou como chefe-de-fila absoluto até à chegada de Rui Costa em 2013. Nesse ano, o corredor transferiu-se para a Astana, equipa pela qual correu até ao fatídico dia de hoje.

Um pensamento em “Michele Scarponi (1979-2017)”

  1. Ainda me lembro, de como no ano passado, este ciclista já vencedor de um Giro, trabalhou incansavelmente para a vitória do seu compatriota Vincenzo Nibali, quando esta já parecia definitivamente perdida.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s