Análise – Meia-final da Taça da Alemanha – Bayern 2-3 Borussia de Dortmund


É caso para dizer que à 4ª foi de vez! Thomas Tuchel conseguiu “matar o borrego”, ainda para mais na casa deste! O Borussia de Dortmund conseguiu um histórico apuramento para a sua 4ª final consecutiva na Taça da Alemanha ao vencer nas meias finais a “besta negra” que lhe tinha roubado a vitória na competição nas últimas 3 finais da prova. Num fantástico jogo de futebol em que mais uma vez foi quebrado desde cedo o espartilho táctico em que assentam os jogos entre equipas grandes, a equipa de Thomas Tuckel sobre aproveitar os erros de Javi Martinez no primeiro golo e de Robert Lewandowski e Arjen Robben no capítulo da finalização.

Arredadas das meias finais da Champions, os dois colossos do futebol alemão procuravam na partida de hoje lutar por uma espécie de prémio de consolação capaz de dar lustro a uma temporada em que os feitos alcançados ficaram muito aquém dos objectivos traçados pelas duas direcções e pelos próprios treinadores – com os seus percursos praticamente traçados na Bundesliga (o Bayern poderá sagrar-se pentacampeão na próxima jornada enquanto o Dortmund terá ainda que confirmar o seu 3º lugar, apesar de poder também carimbar já este fim-de-semana a sua presença nos 4 primeiros desta edição, garantindo um lugar que poderá dar acesso por via do playoff à Champions) as duas equipas, algo fatigadas pelo desgaste provocado pelo altíssimo transito competitivo do último mês, proporcionaram um excelente espectáculo de futebol.

O espectáculo viria a ser abrilhantado como uma entrada de leão da equipa comandada por Thomas Tuchel. Apresentando uma disposição táctica em 4x2x3x1, ligeiramente diferente daquela que foi apresentada durante toda a temporada (3x5x2x1), com um desenho mais ofensivo com a inclusão de Rafael Guerreiro à frente de Marcel Schmelzer na esquerda, Marco Réus a partir do meio como um autêntico vagabundo nas costas de Pierre Emerick Aubemeyang e Ousmane Dembelé na interior direito (devidamente suportados pela capacidade de trabalho de Gonzalo Castro e Julian Weigl a meio-campo), nos primeiros 20 minutos da partida, o Borussia conseguiu estar por cima do jogo. Logo aos 3″, Gonzalo Castro e Raphael Guerreiro construiram uma grande oportunidade para Pierre-Emerick Aubameyang na sequência de uma falta a meio-campo que foi cobrada com magistralidade pelo centrocampista com um passe longo para a desmarcação do internacional português para as costas de Phillip Lahm. Com um fantástico cruzamento para o coração da área, Guerreiro ofereceu meio golo ao avançado gabonês que, por sua vez, não teve arte nem engenho para bater Sven Ulreich.

A pressão alta executada sobre as saídas de jogo dos centrais do Bayern criou muitas dificuldades a Javi Martinez. Com um excelente posicionamento e uma capacidade de ataque muito forte ao portador da bola em terrenos adiantados, a equipa do Borussia conseguiu não só impedir que a bola chegasse à fase de construção dos bávaros, ou seja, aos pés de Arturo Vidal e de Thiago Alcântara, como capitalizou no primeiro erro do central espanhol. Aos 19″, num atraso para Sven Ulreich, pressionado o central espanhol colocou o esférico nos pés de Raphael Guerreiro. Rápido a adivinhar as intenções do antigo jogador do Athletic, o português foi ao encontro da bola e atirou para defesa de Ulreich para o poste. Vindo de trás, Marco Reus aproveitou a infelicidade de Philip Lahm para confirmar junto à linha de golo.

A partir daí, a equipa do Dortmund perdeu por completo o norte, tornou-se menos efectiva na pressão que estava a realizar e deixou que os jogadores da equipa bávara pudessem equilibrar a partida e operar a reviravolta até ao intervalo. A pressão menos efectiva gerada pela equipa de Tuchel a meio campo permitiu que Arturo Vidal, Xabi Alonso e Thiago Alcântara pudessem construir mais à vontade. Com uma excelente visão de jogo e a capacidade de passe que se reconhece aos 3, os médios do Bayern fluiram mais o jogo a meio-campo e desataram a construir os processos de jogo habituais da equipa.

Com a habitual profundidade garantida nos corredores pelos seus intervenientes, e com as habituais movimentações de Lewandowski quando vem atrás buscar jogo, a equipa do Bayern (movida em certa parte pelos esforços de Robben e Franck Ribery no sentido de promoverem mais criatividade no 1×1, nas sobreposições que efectuam com os seus respectivos laterais e com a colocação cruzamentos para a área através dos seus respectivos flancos) começou a criar algumas situações de perigo junto à baliza de Roman Burki. As maiores situações de perigo (de uma delas nasceria o golo do empate de Javi Martinez) surgiriam precisamente em lances de bola parada, lances em que a defesa do Dortmund voltou a demonstrar novamente alguma intranquilidade.

Com o golo do empate, a equipa bávara empolgou-se e chegou mesmo à vantagem por intermédio de Mats Hummels num fantástico lance desenhado por Xabi Alonso Franck Ribery. Na 2ª bola de um livre batido por Xabi Alonso que a defensiva da equipa da Renância\Norte Vestefália soube aliviar para o meio-campo adversário, devolvendo precisamente o esférico a Xabi Alonso, o médio espanhol, com o seu precioso toque de midas, teleguiou um passe longo para a esquerda para Franck Ribery, que por sua vez usou de toda a sua inteligência para prender Lukas Pisczek no seu bailado de forma a conseguir a nega de terreno para assistir Mats Hummels na área para o remate (um autêntico passe para a baliza) do central. O francês conseguiu dar nesta jogada uma autêntica masterclass de inteligência e visão de jogo.

Seguiu-se o desastre

Os bávaros tiveram muitas oportunidades para fechar a partida até aos 60″. Completamente por cima do adversário, por incapacidade do Borussia em sair na transição para o contra-ataque, a equipa de Carlo Ancelotti poderia ter aumentado a vantagem nas 3 claras oportunidades de golo que conseguiram construir: se nas primeiras duas, numa fase em que o meio-campo do Bayern estava mais interessado em conseguir lançar com êxito Robert Lewandowski nas costas dos centrais do Dortmund, o polaco desperdiçou duas bolas na cara de Burki, na 3ª, numa falha clamorosa cometida pelo guardião suiço quando foi chamado a intervir no jogo a atraso de Sokratis, em vez de aliviar a bola para longe, o guardião do Dortmund devolveu ao central numa situação de jogo em que tinha Thiago Alcântara a morder-lhe os calcanhares. O hispano-brasileiro recuperou a bola e serviu Robert Lewandowski. O polaco cometeu o erro de não atirar imediatamente, emendando quando serviu a entrada de Robben na área. Com pouca sorte,o holandês atirou ao ângulo, vendo Lukas Pisczek cortar-lhe o remate em cima da linha de golo contra o poste.

Como quem não marca sofre, assim que a equipa do Borussia conseguiu suplantar a linha de pressão a meio-campo de forma a poder criar jogadas de perigo no último terço (saúda-se o enorme esforço de Ousmane Dembelé na transição, colocando a velocidade que faltava à equipa), nasceram os dois golos da reviravolta: o primeiro numa jogada cujos créditos pertencem por inteiro a Moussa Dembelé (foi pegar a bola a Weigl, fez uma tabela com Pisczek na direita, apareceu a receber mais à frente na quina da área e serviu com classe a entrada de Aubameyang ao 2º poste) e o segundo num lance em que Marco Réus aproveitou um erro estúpido de Arturo Vidal e Phillip Lahm na transição para armar o contra-ataque (3×3) que terminaria com a fantástica execução técnica de remate de Moussa Dembelé. O francês foi efectivamente o homem da partida pela fabulosa finalização no terceiro golo da sua equipa e está claro, pelo inconformismo demonstrado ao longo da partida, visto que foi um dos únicos jogadores que conseguiu dar velocidade ao jogo da equipa orientada por Thomas Tuchel.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s