Giro de Itália – 2ª etapa – A vez de Greipel


A resposta de André Greipel ao fracasso obtido na etapa de ontem, ganha por Lukas Postlberger, não tardou. Na sua 22ª vitória em provas de 3 semanas, o alemão ganhou o direito de vestir pela primeira na sua carreira a camisola da liderança de uma grande prova. Os segundos de bonificação acumulados na etapa de ontem e na etapa de hoje permitiram ao alemão da Lotto-Soudal saborear um momento único, momento que de resto já merecia pela maravilhosa carreira que tem vindo a construir nos últimos anos.

Mais uma prestação notável de Daniel Teklehaimanot

Na tirada disputada esta tarde na belíssima região da Sardenha, a etapa foi novamente animada por um conjunto de fugitivos onde se incluiu novamente o eritreu Daniel Teklehaimanot da Dimension Data. O ciclista africano provou hoje que está interessado em lutar por 2 classificações: a dos sprints bonificados e a do prémio da montanha. Ao ter passado na primeira posição nos dois sprints intermédios e na difícil 2ª categoria de Genna Silana (categoria de montanha em que Giacomo Nizzolo, um dos grandes favoritos à conquista da etapa, perdeu contacto de forma irremediável com o pelotão) para além dos pontos acumulados na 3ª categoria de Nuoro (km 113), o ciclista da equipa sul-africana Dimension Data pode aumentar a diferença para o 2º classificado na geral dos sprints e roubou a camisola azul a Cesare Benedetti da Bora.

Conjuntamente com o ciclista africano, fizeram-se ao vento 3 ciclistas:  Lukasz Owsian (CCC), Ilia Koshevoy (Willier), Evgeny Shalunov (Gazprom) e Simone Andretta (Bardiani). Após dezenas de km em fuga, todos seriam apanhados (comandado pela Bahrein-Mérida) após a contagem de montanha de Genna Silana.

A longa e técnica descida até à recta da meta.

Com a fuga do dia anulada no alto de Genna Silana, as equipas com pretensões à etapa trataram de se chegar à frente. A Dimension Data, decerto a pensar na vitória de Kristian Sbaragli na linha de chegada, lançou Nathan Haas ao ataque. Com ele acabou por ir, na mesma lógica, Davide Martinelli na Quickstep, equipa que visava dar a melhor oportunidade de sprint possível a Fernando Gavíria. O ataque de ambos, situação de corrida que durou um par de quilómetros, visava essencialmente tentar desgastar as equipas da Orica, da Bahrein-Mérida e da Team UAE para de certo modo as enfraquecer na parte final da etapa, no habitual esforço de lançamento dos seus sprinters.

A Bahrein permaneceu na frente do pelotão até sensivelmente aos 8km finais, altura em que a Orica tomou conta das operações. Ao mesmo tempo em que a equipa australiana pegava na corrida para preparar caminho para o seu sprint Caleb Ewan, na traseira do pelotão existia uma contrariedade para a Katusha, mais concretamente para o seu líder Ilnur Zakarin. Apeado devido a uma falha mecânica, o russo ficou ali a cerca de 30″ do pelotão. Rápida a baixar, a equipa de José Azevedo tentou com um esforço notável face à velocidade a que circulava o pelotão, recolocar o seu chefe-de-fila. Os Katusha estiveram ali a dois passos de o conseguir, mas, o seu líder haveria de perder 20 segundos.

Bem esticado seguiu o pelotão até à flame rouge, altura em que a Lotto pegou com energia na corrida, lançando André Greipel para um sprint em que curiosamente Rui Costa participou (10º na etapa) e Sasha Modolo, sprinter da equipa emir, não conseguiu entrar, vencendo a etapa com muita categoria. No sprint, o colombiano Fernando Gavíria voltou a desiludir, ficando apenas na 4ª posição. O mesmo sentimento de desilusão também deverá ter sentido Caleb Ewan depois de não ter correspondido minimamente ao trabalho realizado pela equipa Orica.

Os portugueses

Como referi, Rui Costa foi 10º na tirada, participando no sprint final. O ciclista da UAE bem como José Mendes (Bora) terminaram com o mesmo tempo do vencedor. José Gonçalves (Katusha) foi obrigado a ajudar o seu líder Zakarin no seu infortúnio.

Rui Costa é neste momento 12º da geral a 14 segundos de André Greipel, José Mendes é 62º a 27 segundos enquanto José Gonçalves é 135º a mais de 2 minutos.

A Geral individual

Outras classificações

Pontos – André Greipel passou a liderar a classificação dos pontos com 75, mais 3 que Daniel Teklehaimanot da Dimension Data e mais 24 que Lukas Postlberger da Bora, ciclista que apesar de ter perdido hoje a maglia rosa ainda se fez ao sprint para tentar preservar a camisola na posse da equipa alemã por mais uma etapa.

Montanha – Como já tinha referido, Daniel Teklehaimanot conquistou a maglia azurra a Cesare Benedetti. Com 11 pontos sobre Benedetti e 12 sobre o seu colega de equipa Omar Fraille, o ciclista eritreu assegurou a manutenção da camisola até à 4ª etapa (Monte Etna) visto que na etapa de amanhã só existe uma 4ª categoria no percurso.

Sprints – Daniel Teklehaimanot lidera esta classificação com 36 pontos, mais 23 que o albanês Eugene Zhupa da Selle Italia.

Combatividade- Como não poderia deixar de ser, o eritreu também lidera a prova com mais 13 pontos que André Greipel. 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s