Giro de Itália – Etapa 7 – Caleb Ewan vence num momento de espectacularidade ímpar


Tardou mas finalmente concretizou-se: no dia em que Caleb Ewan pegou finalmente ao serviço, honrando o enorme trabalho que tem sido feito ao longo desta semana de prova pela Orica, pudemos finalmente assistir a um momento de espectacularidade ímpar promovido pelos melhores sprinters em prova na discussão da longa etapa (224 km) que terminou em Alberobello. Nos metros finais, devidamente lançado pelo seu companheiro Luka Mezgec, o australiano contornou (pelas costas) os esforços montados pela Bora para oferecer a Sam Bennett a oportunidade de vencer a etapa, acabando por ser mais forte que o irlandês e que Fernando Gavíria nos metros finais.

Por outro lado, André Greipel é nos dias que correm um homem muito triste. A vitória obtida pelo alemão na 2ª etapa da prova não esconde a frustração de ter perdido 3 etapas ao sprint para os outros sprinters num início da prova que parecia talhado para o seu enorme potencial. 
Uma fuga para inglês ver.

Giuseppe Fonzi da Willier Triestina-Selle Italia e Dimitri Kozonchuk da Gazprom foram as duas apostas do dia de duas equipas que tem colocado diariamente ciclistas em fuga. À falta de outros argumentos (Fillippo Pozzato tem aparecido diante das objectivas pelos maus motivos, sendo constantemente apanhado pelas mesmas quando se encontra a descolar do grupo principal ou quando passeia alegremente pela cauda do pelotão) os dois conjuntos tem aproveitado a primeira semana para tentar a sua sorte nas fugas. Pese embora o facto de não terem para já conquistado o direito a almejar a vitória em etapas, tanto a equipa italiana como a formação russa tem conseguido mostrar bem os seus patrocinadores e tem obviamente acumulado pontos e prémios monetários nas passagens dos seus ciclistas pelos sprints intermédios e prémios de montanha.

Completamente controlada durante toda a etapa, a fuga viria a terminar a sensivelmente 19 km para a meta. Até lá, a Quickstep, acompanhada esporadicamente por elementos da Orica, da Movistar e da Bahrain-Mérida tomou conta das operações na frente do pelotão. Quando a fuga foi efectivamente anulada, as equipas dos sprinters começaram a tomar conta da dianteira do pelotão para que o maior obstáculo da etapa de hoje, corrida na parte final num circuito (uma curta inclinação de cerca de 1 km entre o 220 e 221º quilómetro da tirada) não reservasse surpresas de maior, porque na aproximação a esse momento de decisão da corrida, percebeu-se que havia quem tivesse ideias para mexer a corrida: a Sky viu com bons olhos a possibilidade de lançar um ataque de Geraint Thomas naquele pequeno quilómetro de subida visto que a acentuada rampa poderia permitir ao galês um ataque surpresa capaz de anular o tempo de diferença para o maglia rosa Bob Jungels de forma a assumir a liderança da prova.

Nesse momento-chave, vários poderiam ser aqueles que poderiam passar ao ataque para vencer a etapa. A etapa talhava-se ao gosto de ciclistas como Enrico Gasparotto (Bahrain-Merida), Rui Costa (Team UAE), Tom Jelte Slagter (Cannondale) ou até mesmo Jasper Stuyven (Trek) ciclista que hoje fez marcação cerrada ao camisola Fuchsia da regularidade Fernando Gaviria em todos os sprints intermédios – o belga da Trek, ciclista que ontem ascendeu à 2ª posição do prémio da regularidade (por pontos) confirmou durante a etapa de hoje que pretende imiscuir-se na luta pela vitória nesta classificação numa especialidade que não é de todo a sua. Prova disso também foi o facto do puncheur  se ter intrometido no sprint final, fechando a etapa numa surpreendente 5ª posição.

O único ciclista que viria a passar ao ataque nos 5 quilómetros finais seria o esloveno Kristijan Koren da Cannondale. A investida do ciclista de 30 anos duraria apenas algumas centenas de metros visto que as equipas dos sprinters não estavam com vontade de deixar escapar mais uma oportunidade para lançar os seus trunfos.

Num final marcado pelo predomínio da Bora na frente do pelotão (os alemães tem procurado a todo o custo dar uma vitória de etapa ao seu sprinter Sam Bennett) e por alguns empurrões mais ríspidos na habitual dança que os sprinters protagonizam para ganhar a melhor posição possível, viria a ser Caleb Ewan quem, num autêntico grito de revolta, vingou os resultados menos positivos alcançados nas vitórias de Greipel e Fernando Gaviria. Com um movimento de antecipação prodigioso realizado nas costas de Sam Bennett, o australiano tomou a dianteira do sprint, resistindo na parte final às investidas do irlandês e de Fernando Gaviria.

Na chegada, a organização decidiu contabilizar um pequeno corte que existiu entre o 6º classificado (Ryan Gibbons da Dimension Data) e o 7º (Enrico Battaglin da Lotto-Jumbo NL). Nenhum dos candidatos viria a perder tempo nos pequenos grupos que chegaram  a 11, 17, 29 e 32 segundos do vencedor. Dos ciclistas com aspirações ao top 20 apenas Michael Woods (Cannondale) perdeu 11 segundos para o vencedor e 9 para os restantes candidatos.

Sem alterações na geral individual, Bob Jungels segue na liderança da prova.

Outras classificações

Regularidade\Pontos

Fernando Gaviria não venceu a tirada (perdeu apenas para Caleb Ewan) mas pode aumentar a sua vantagem sobre Jasper Stuyven nesta classificação. Os 6 pontos somados nos sprints intermédios face aos 2 conquistados pelo Belga (no 2º, Stuyven ainda tentou roubar 1 ponto ao colombiano) mais os pontos acumulados pelo 2º lugar na etapa permitiram ao colombiano subir a sua conta para 191 pontos, mais 31 que o ciclista da Trek. André Greipel conta agora com 129 pontos. O alemão precisa rapidamente de reverter esta situação nos próximos dias se quiser efectivamente lutar pela vitória no prémio da regularidade.

Sprints – Daniel Teklehaimanot continua a liderar com 37 pontos contra os 29 de Eugene Zhupa da Selle Italia.

Montanha – Jan Polanc confirmou hoje que vai mesmo lutar pela manutenção da Maglia azzurra. O ciclista da UAE aproveitou a única montanha do dia (4ª categoria) ultrapassada pelos ciclistas para ir buscar 1 ponto visto que os restantes foram amealhados pelos 2 homens que seguiam em fuga. O ciclista esloveno deverá tentar defender-se nas etapas de montanha, entrando nas fugas para tentar amealhar o máximo número de pontos para esta classificação.

Combatividade – Os 12 pontos somados por Fernando Gaviria (Quickstep) permitiram a sua ascensão à primeira posição do prémio da combatividade, ultrapassando o anterior líder Jasper Stuyven. Gaviria marca agora 34 pontos contra os 29 de Stuyven e os 23 de Daniel Teklehaimanot.

Bob Jungels continua a liderar a classificação da juventude com mais 10 segundos de avanço sobre Adam Yates (Orica) e Davide Formolo (Cannondale).

Na geral por equipas, a UAE Emirates recuperou a primeira posição, estando agora com mais 4 segundos sobre a Cannondale e 27 sobre a Movistar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s