Mais uma exibição sofrível para os Wallabies


A época de testes de Junho fechou (em boa-hora, pelo tempo que desperdicei no visionamento dos 3 testes realizados) para os Wallabies com uma vitória muito modesta frente aos italianos, numa exibição sofrível onde a formação australiana voltou a pecar imenso em vários níveis distintos do jogo. Em 30 anos de vida não me recordo sinceramente de ter visto a selecção australiana a apresentar um rugby de tão baixa qualidade. Se a equipa não tivesse 4 jogadores em grande forma neste momento da temporada (Bernard Foley, Karmichael Hunt, Israel Folau, Sefanaia Naivalu) estou 100% seguro que juntaria à humilhação sofrida no teste do passado fim-de-semana frente à “equipa B” da Escócia duas vexatórias derrotas contra fijianos e italianos.

É caso para dizer que os problemas são “mais que muitos” na selecção comandada por Michael Cheika. Nem quero pensar no cabaz que esta selecção irá receber dos neozelandeses no Rugby Championship se continuar a apresentar-se a este nível. Se o Mundial começasse daqui a 2 semanas, este elenco não passaria (pela primeira vez na sua história) da fase-de-grupos da prova.

Existem pormenores completamente escabrosos neste grupo que precisam urgentemente de ser revistos e trabalhados. Um deles é a quantidade de bolas que o precipitado Will Genia perde na saída das formações espontâneas. Por vezes dá-me a sensação que o formação do Stade Français está completamente desinteressado, para não dizer alheado da partida, passando bolas literalmente sem olhar para o primeiro que lhe surgir “na tola” como conveniente para receber a batata quente nas mãos. A Austrália somou 19 turnovers ao longo da partida face aos 12 somados pelos italianos. Dos 19 turnovers concedidos, 14 foram provocados por falhas no passe ou na recepção. Dos 12 turnovers italianos, só 1 representou uma conquista de ruck adversário. A selecção australiana conseguiu conquistar todos os rucks a seu favor (65) mas dos 72 que os italianos formaram, só conseguiu ganhar 1. Problemático.
Outro dos problemas desta selecção reside nas formações ordenadas. Scott Sio colapsou por 4 vezes nas melées no jogo de hoje. Se o jogador repetir a dose nos jogos contra os All-Blacks, poderemos estar a falar de jogos em que os neozelandeses poderão facilmente ter 7 ou 8 penalidades literalmente de borla.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s