Bloco de Notas da História #23


30 anos. 30 títulos. 30 mil jogadas de puro sonho. 30 mil momentos de pura magia. Por mais que o argentino faça em prol do futebol nos anos que lhe restam na carreira (esperemos que sejam muitos), nunca poderei “olvidar” aquele momento em que todos, sem excepção, percebemos que estávamos perante um fenómeno completamente invulgar: aquele golo histórico marcado frente ao Getafe no jogo disputado a 18 de Abril de 2017 em que o jovem de 19 anos apresentou literalmente a alma ao criador Diego Armando Maradona.

Relembro perfeitamente esse momento como se tivesse acontecido há 5 minutos atrás. Já não me lembro a razão que me levou a ver esse jogo com o meu pai mas creio que na altura deveria estar em casa dos meus pais a cumprir o período de férias relativas à Páscoa. Quando vimos o golo, eu e o meu pai ficámos completamente incrédulos a olhar para a televisão. Lembro-me perfeitamente do contraste entre o seu semblante em puro estado de choque e a orgia mental que me deu naquele momento: aquele golo que ele viu em directo em 1986, sensivelmente 1 ano antes de eu nascer, aquele golo que ele me tinha contado vezes sem conta (assim como as duas exibições realizadas por El Pibe contra o Sporting naquela mítica eliminatória a contar para a Taça Uefa de 1989\1990) estava a ser replicado, 21 anos passados, novamente por um argentino.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s