Um maravilhoso lateral direito chamado Jeremy Toljan


Há uns dias, neste post, já tinha feito uma brevíssima referência ao versátil (o jogador pode fazer qualquer lugar da defesa) lateral direito do Hoffenheim. Contra a selecção inglesa, num jogo em que infelizmente só pude dar dedicar-me a 100% à passagem da meia-hora, pude finalmente confirmar a qualidade de Jeremy Toljan, jogador que já me tinha ficado na retina num ou dois jogos em que o vi alinhar no talentoso Hoffenheim de Julian Nagelsmann e noutro par de jogos disputados no verão passado nos Jogos Olímpicos do Rio.

O jogador de 22 anos foi na minha opinião, o melhor jogador em campo na suada vitória arrancada a ferros dos alemães sobre os ingleses. Numa partida em que o futebol praticado por ambos os conjuntos foi sensacional, e em que as duas defesas foram apanhadas mal posicionadas em diversas ocasiões, o atleta do Hoffenheim foi simplesmente decisivo. Defensivamente, face ao desastre que foram as exibições do lateral esquerdo Yannick Gerhardt e dos centrais Jung e Kampf, o lateral direito não só manteve o seu corredor completamente fechado à iniciativa adversária como foi, em duas ocasiões criadas pelos ingleses, o verdadeiro salva vidas dos alemães quando veio ao meio oferecer o seu corpo a dois remates que seriam fatais.

Ofensivamente a história é outra. Jeremy Toljen é um lateral que cumpre na íntegra as ideias de jogo que lhe são pedidas pelo seleccionador Stefan Kuntz. Sendo um lateral que se projecta muito bem no terreno nos 2 corredores (o facto de ser destro não o remete a uma postura excessivamente defensiva quando é obrigado a jogar na esquerda; experiência comprovada nos jogos em que o pude ver no Hoffenheim) é um daqueles raros laterais que consegue, em situações em que a equipa ataca em jogo posicional, passar despercebido nas costas dos seus oponentes directos. Tal facto (a profundidade que dá ao jogo) não só beneficia imenso “o seu jogo” (a sua capacidade de cruzamento; é um lateral que adora ir até linha de fundo para cruzar) como beneficia imenso as características (distintas) de Max Arnold (a sua esplêndida capacidade de colocar bolas à distância no passe) e de Max Meyer. Sempre que recebe ali à entrada da área, o médio ofensivo do Schalke sabe que só precisa de progredir em velocidade para criar a oportunidade porque sabe que o lateral vai entrar nas costas da defesa. Eis a jogada do primeiro golo alemão:

 

Toljan conduz o esférico, inflecte para o meio, fixa a atenção dos ingleses e troca com Meyer. A negro, podemos ver que se o lateral entrar no espaço, continuam a existir dois defensores que sairão rapidamente a barrar-lhe o caminho.

Meyer promove um ligeira aceleração enquanto vai progredindo com a bola. Ao promover um ligeiro aumento de velocidade, fixa a atenção de dois ingleses para criar a linha de passe que permitirá ao lateral cortar pelas costas do defesa de forma a receber o passe. Um dos centrais ingleses é arrastado pela situação, obrigando-se a sair na dobra para compensar a falha do lateral. O outro hesita e dá as costas ao ponta-de-lança Davie Selke

Hesitou… Mamou!!

A esta qualidade acresce o facto de ser um lateral que gosta de entrar em zona de finalização ao segundo poste ou até mesmo no coração da área.

Voltemos porém atrás aquela parte em que eu vos explicava em que é que o lateral é beneficiado e beneficia “o jogo” de Max Meyer. Olhemos o cenário do lance que irá redundar no golo anulado aos alemães no 2º tempo….

Apanhado mais a uma vez a entrar de fininho nas costas da defesa. No entanto, Meyer não tem o lateral do Hoffenheim como a única “situação passível para criar” – O criativo do Schalke pode progredir mais alguns metros com a bola porque o lateral esquerdo inglês Mason Holgate decide recuar (espera que Mayer sirva a entrada de Toljan nas suas costas) ao invés de sair imediatamente na pressão. Olhe-se ligeiramente para cima para ver a posição do seu querido camarada de armas na formação do Schalke Felix Platt na área. Platt já ganhou por completo a posição nas costas do central inglês. Como Mayer é exímio a colocar cruzamentos para a área… dá-se um lance que é anulado por fora-de-jogo milimétrico do ponta-de-lança. 

Está lá…??? Existe por aí algum Toljan nas costas do lateral? A jogada termina com um 1×1 efectivo sobre Holgan precedido de um cruzamento venenoso que não dá golo por uma unha negra. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s