Tour de France – 7ª etapa – Hat-trick para Kittel na chegada a Nuits-Saint George


Até aos 2 km finais

Último quilómetro

1, 2, 3, vou nascer outra vez! Na chegada a Nuits-Saint-George, pacata vila da vinícola região da Borgonha, Marcel Kittel pode abrir a garrafa de Pinot Noir que estava reservada para si no autocarro da Quickstep. O sprinter alemão facturou a sua 3ª etapa no Tour e alcançou o seu principal objectivo (a posse da camisola verde) na etapa que antecedeu o interlúdio que se irá desenrolar até domingo nas montanhas. Para além desse facto, o ciclista igualou o número de vitórias conquistadas na prova pelo seu compatriota Erik Zabel. Kittel soma agora um registo de 12 vitórias na prova francesa. No sprint mais disputado da prova até ao momento, o sprinter alemão da equipa belga mereceu novamente o enorme trabalho de lançamento que foi promovido nos derradeiros metros pela equipa, mais concretamente por Fabio Sabatini e Jack Bauer.

A radiografia de uma vitória arrancada a ferros

6 mm foi a distância que separou Marcel Kittel de Edvald Boasson Hagen na chegada a Nuits-Saint-George. O norueguês esteve a um passo de materializar a vitória para a qual lutaram com afinco os homens da Dimension Data, em particular, os seus lançadores Bernard Eisel e Reinhart Janse van Rensburg. Michael Matthews (Sunweb) foi 3º. No final da etapa, o finalizador australiano da formação alemã confessou que o 3º lugar na etapa lhe soube literalmente a mel quando afirmou: “We waited and waited, we did exactly like we said in the meeting before and I think we have to be happy for third. We knew that we needed to stay focused and stick together inside the final. We had a plan, and we stuck to it, and for us this definitely feels like a win.” – por outro lado, Andre Greipel (Lotto-Soudal) juntou-se ao coro das vozes que têm, nos últimos dias, realizado várias críticas (vários protestos) contra a legalidade dos sprints de alguns ciclistas e contra a própria segurança do evento. O antigo campeão alemão queixou-se do facto de ter atingido 3 espectadores nos últimos dias: “Yesterday, I hit three times spectators on the side of the road, so this is a big appeal to spectators to not lean over the barriers to respect us and to give us the space that we need. Sometimes the roads can be really wide, but we still need the gaps on the side of the road by the fences. Of course, it’s dangerous. If you have a big camera like what happened yesterday, it can bring a whole peloton down, and the Tour could be finished for a lot of riders.” – No entanto, o sprinter alemão também admitiu que não tem conseguido posicionar-se bem na abordagem aos sprints finais. Juras Greipel? Pensámos que alguns dos erros cometidos no Giro poderiam vir a ser melhorados no Tour! Mas não… A Lotto-Soudal continua igual a si própria, ou seja, desculpem lá a expressão, uma valente merda de equipa: não assumem em momento algum a perseguição aos fugitivos, revelam alguma deficiência na formação do seu comboio nos quilómetros finais e não tem, ao longo destas 7 etapas, realizado o esforço necessário para finalmente conseguirem entrar na frente do pelotão no último km de forma a conceder ao seu sprinter a melhor posição possível no lançamento do sprint. Os mesmos erros cometidos no Giro (os que permitiram o poker ao underdog Fernando Gavíria) foram os mesmos erros que tem vindo a cometer no Tour, ainda para mais, frente a uma concorrência que não perdoa um pintelho que seja.

As várias quezílias e pequenas rixas que vão acontecendo diariamente. 

De Degenkolb a Edvald Boasson Hagen, passando por Kristoff, vários tem sido os sprinters que nos últimos se queixaram das irregularidades que são cometidas pelos dois velozes franceses Arnaud Demare e Nacer Bouhanni. Tanto Demare como Bouhanni parecem envoltos num tremendo estado de graça junto dos comissários de corrida. Enquanto nas fases de aproximação à chegada, como foi o caso deste incidente a 3,5 km da meta, os dois grandes rivais do ciclismo francês trocaram os habituais mimos com os cotovelos, precisamente naquele momento crítico da corrida em que qualquer erro ou qualquer toque no esforço de posicionamento que é desenvolvido por várias equipas poderá redundar num “estatelanço” geral no asfalto, nos últimos metros nenhum dos dois tem cumprido as regras da UCI para os últimos 200 metros. Diz a regra que nos 200 metros finais, nenhum sprinter poderá alterar a trajectória de sprint de forma brusca, devendo correr o espaço em linha recta. Tanto o sprinter da FDJ como o seu antigo colega de equipa, tem feito mudanças bruscas de trajectória que colocam naturalmente em perigo todos os seus colegas de profissão. Nos vários exemplos passíveis de desqualificação que foram protagonizados pelos dois ciclistas franceses nas últimas etapas, os comissários da UCI, tem simplesmente assobiado para o lado.

Uma menção honrosa para a fuga

Dylan Van Baarle (pela segunda vez em fuga; Cannondale), Manuele Mori (UAE), Maxime Bouet  (Fortuneo) e Yohann Gène (Direct Energie) tentaram resistir nos quilómetros finais. Entre os 25 e os 15 km para a meta, os 25 segundos adicionados aos 30 de vantagem da fuga para o pelotão deram a entender que a fuga até poderia triunfar na linha de chegada. O momento foi rapidamente corrigido pela Katusha (excelente trabalho; má prestação do seu sprinter) e pela Quickstep nos quilómetros que se seguiram. No entanto, a situação de corrida à entrada para os 15 km finais assustou e de que maneira as formações dos sprinters. Durante esses 10 km foram mais as equipas que tentaram posicionar bem os seus líderes (Sky, Movistar e Orica estiveram bastante interventivas na dianteira do pelotão) do que aquelas que se mostraram interessadas em perseguir os fugitivos para garantir mais uma oportunidade de discussão da etapa ao sprint aos seus finalizadores. Quando as duas formações (Katusha e Quickstep) pegaram na perseguição, várias foram, obviamente as formações que começaram a chegar-se à frente… A hipocrisia no seu estado puro.

Onde está John Degenkolb?

Essa é uma das grandes questões desta semana. O sprinter da Trek anda sempre por ali nos primeiros 5 lugares mas não tem conseguido ter aquele click de potência que lhe permita discutir a vitória até ao último metro.

Kittel parte para as montanhas na frente da camisola verde

Com a 3ª vitória na competição, o alemão assegurou a liderança da camisola verde. Como Arnaud Demare falhou por completo o sprint (precisava pelo menos do 4º lugar para manter a camisola da regularidade na sua posse), os 50 pontos acumulados pelo sprinter da Quickstep no sprint final, foram suficientes para que este passasse para a liderança. Kittel tem agora 197 pontos, mais 15 que Demare. Michael Matthews tem 123 pontos.

No início da etapa questionaram o ciclista germânico acerca da sua ausência na discussão dos pontos (que vão sobrando, em virtude da existência de fugas na dianteira da corrida) nos sprints intermédios. O alemão respondeu que passará a discuti-los mais vezes. Parte da estratégia de Arnaud Demare para o futuro passará obviamente pela discussão dos sprints intermédios. Se Kittel continuar a vencer etapas a este ritmo, o francês só irá manter acesa a discussão pela camisola se conseguir amealhar pontos nos sprints intermédios…

Nova inversão no rumo da corrida – os dois suplícios que vem aí nos próximos dias

A tirada de amanhã não é passível de ser equiparada à longa, dura e penosa tirada de domingo. Enquanto no domingo os ciclistas terão que percorrer o calvário oferecido pela organização com as passagens pelos doentios (mas espectaculares; já me estou a salivar todo só de imaginar o fenomenal combate que poderemos vir a ter no domingo) Grand Colombier e Mont Du Chat, na etapa de amanhã não podemos descartar a possibilidade de virmos a ter um espectacular momento de luta a partir dos 45 km para o fim da etapa nas passagens pela 2ª categoria do Cote de Viry e pela 1ª categoria de Côte de la Combe de Laisia-Les Molunes.

Anúncios

1 thought on “Tour de France – 7ª etapa – Hat-trick para Kittel na chegada a Nuits-Saint George”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s