Os golos do dia


https://dailymotion.com/video/x60nbc9

Hoje começo com as imagens de um golo (o primeiro do Sevilla ao Liverpool no jogo da passada quarta-feira) que apesar de ter surgido de um interessante e encadeado momento de construção dos andaluzes no último terço adversário, é acima de tudo uma lição de como “não defender numa competição de exigência máxima como a Champions”

O alivio do lateral Joe Gomez (sozinho, com o adversário distante, creio que poderia ter feito bem melhor do que um alívio muito perigoso para o corredor central) é o mal menor nesta jogada. Vejamos:

salah

No ataque ao portador, Salah “esquece-se” da entrada do seu adversário directo nas suas costas enquanto tenta roubar a bola a Guido Pizarro. O egipcío descura portanto a sua zona de defesa. Se o argentino do Sevilla quisesse criar ali uma situação de cruzamento sem oposição para Escudero poderia ter criado com um simples toque na bola.

Mesmo assim, o argentino prefere passar para o interior.

firmino

O jogador encarregue de defender naquela zona também ficou preso na “contemporização” de Pizarro.

A apreciar a jogada atrás do receptor, apático, Firmino poderia ter roubado a bola de surpresa quando o passe sai. Quando o avançado brasileiro chega para pressionar

sevilla

já a bola saiu para o interior para um jogador cujo marcador à zona é Jordan Henderson. Henderson chega atrasado à pressão. Sai uma combinação fácil.

salah

A pressa de sair para o contra-ataque conduz a equipa a mais um conjunto de erros defensivos. 

Quando a combinação sai, Salah presume que a equipa vai recuperar a posse para lançar rapidamente o ataque, cumprindo um dos processos de jogo que tem vindo a ser utilizado pela formação de Klopp neste início da temporada: a saída rápida em transição com a bola a ser lateralizada rapidamente para a corrida do extremo egípcio. O egípcio dá portanto o lance como anulado antes de efectivamente estar. Em vez de fechar a linha de passe para o opositor que tem nas costas, esta fica aberta e é aproveitada depois de uma inteligente contemporização de Joaquin Correia para imobilizar dois defensores antes de abrir para a subida do colega.

O lance termina com uma falha na transmissão da marcação de Ben Yedder. O croata desiste da marcação ao avançado para se antecipar ao cruzamento ao primeiro poste. No entanto eu creio que o croata fá-lo a pensar que Moreno seria capaz de assumir a frente para não permitir a chegada à bola do avançado. O lateral esquerdo não é rápido a pensar a acção e deixa que o avançado lhe ganhe a frente. Lovren fica muito mal na fotografia ao falhar um corte relativamente fácil.

P.S: O Liverpool voltou a ser uma equipa extremamente perdulária. Quem desperdiça 1 grande penalidade e 3 ocasiões flagrantes a vencer por 2-1, dificilmente vence o jogo. Aplica-se o ditado clássico do futebol.

Uma Ospinada!

https://dailymotion.com/video/x60wbe2

O colombiano é péssimo a jogar com os pés.

david ospina

Com duas linhas de passe seguras ao alcance de uma leitura momentânea da situação (aquilo que devem fazer todos os guarda-redes quando saem da baliza de forma a poderem tomar uma boa decisão) o colombiano foi “espetar” a bola ao calhas nos pés do adversário.

O Arsenal conseguiu contudo remediar o erro na 2ª parte.

Do futebol dos Gunners destacaram-se a exploração do erro do adversário na cobertura posicional às faixas (tanto Alexis como Bellerin puderam na primeira parte receber bastantes bolas nas faixas com imenso espaço dado pelos laterais da formação alemã para desequilibrar e criar; na 2ª parte, o chileno mudou-se para o corredor central, procurando ter mais a bola em zona interior; a profundidade dada pelo espanhol no flanco direito permitiu a fixação de Walcott ao lado de Giroud e os constantes movimentos de ruptura realizados pelo avançado para as costas da defensiva alemã, como vamos ver no lance do primeiro golo dos gunners) e as entradas entre linhas à vez de um dos centrocampistas (El Neny ou Iwobi) entre a linha média e a linha defensiva do Colónia.

Bom jogo entre linhas do Arsenal. Maitland-Niles sai da sua zona de conforto para rasgar pelo meio. Bom anotamento eu do lateral. Eu assumo-me um admirador confesso de todos os laterais e alas que conseguem jogar bem pelo interior visto que aumentam as soluções de jogo de uma equipa. Giroud solta-se bem da marcação para dar sequência à tentativa de triangulação. Ao longo da partida, o avançado cedeu sempre muitos apoios (frontais; às combinações), o que me faz crer que esta é uma melhoria no seu “jogo”.

Alexis sai disparado que nem uma bala para dar profundidade ao lance, procurando depois o interior para criar. É incrível a forma em como pressionado por um adversário, o internacional chileno nunca perdeu a noção do espaço em que se encontrava e o sentido de baliza, optando pelo remate numa curta fracção de tempo quando compreendeu que não conseguiria servir a entrada de um companheiro na área.

Por outro lado, o jogador que lhe sai na pressão poderia ter atacado mais incisivamente a bola. O lance também é fruto de alguma passividade por parte desse jogador e dos dois que ficam a olhar para o lance sem fazer a devida contenção do lance ao chileno, acção que lhe poderia ter anulado por completo a investida.

colonia

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s