A organização defensiva e a entrega ao jogo do Atlético de Madrid


O desempenho defensivo do Atlético nos primeiros 45 minutos da partida que está a ser disputada no Wanda Metropolitano reforçam a ideia que há muito está presente no meu pensamento: a rápida transição defensiva (saltando os jogadores rapidamente de um sistema de pressão alta organizada quando a pressão alta não surte os devidos efeitos planeados, efeitos que passam sempre pela recuperação da posse bola em sectores adiantados do terreno para dar azo a perigosas acções de contragolpe para um bloco baixo bem organizado) a organização defensiva solidária (bloco baixo compacto, com linhas bem articuladas quer ao nível de longitude, quer ao nível transversal; fechando os seus dois médios o acesso ao jogo interior; obrigando-o a ter que circular para as faixas, faixas bem povoadas com 3 jogadores onde o adversário só conseguiu penetrar no último terço adversário por 4 ocasiões, sempre pelo mesmo flanco; 3 vezes por força das acções individuais de Marcelo e de Isco e uma através de uma tabela realizada entre Kroos e Ronaldo pela interior esquerda; excelente comportamento individual ao nível da defesa das suas respectivas zonas e de coberturas em caso de desequilíbrio) e a agressiva (para não lhe chamar viril) entrega ao jogo deste Atlético de Simeone deveria ser, pelo seu carácter extraordinário, fantástico, e pelo fascínio que em mim exerce, objecto de estudo em todas as universidades.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s