Sporting – Findo o segundo ciclo, o que é que se perspectiva?

Por Miguel Condessa*

sporting 101

Findo o segundo ciclo, o que se viu, o que se perspectiva…

Depois de 2 jogos, em casa, de enorme grau de dificuldade, creio que a maioria dos adeptos conscientes ainda não terá percebido bem se temos realmente uma equipa para ganhar títulos este ano ou não. Todos nós, sportinguistas, temos essa esperança mas uns acharão que ainda nos falta algo e outros já pensam que estão reunidas todas as condições – ainda por cima com o VAR! – para ser este ano o nosso ano!

Eu, confesso, inicialmente pensei que sim, contrariando até a minha ideia inicial que nunca seremos campeões com o Jesus, mas agora penso que ainda nos faltam algumas coisas… Tivemos já dois grandes ciclos de jogos – entre o início da temporada e os jogos da selecção. No primeiro ciclo, em Agosto, fizemos 6 jogos – Aves (f), Setúbal (c), Steaua (c), Guimarães (f), Steaua (f) e Estoril (c) – com 5 vitórias e 1 empate. Neste segundo ciclo, em Setembro, em 7 jogos – Feirense (f), Olympiacos (f), Tondela (c), Marítimo (c), Moreirense (f), Barcelona (c) e Porto (c) – conseguimos 3 vitórias, 3 empates e 1 derrota, sendo que nos últimos 4 jogos não vencemos nenhum!

É da minha opinião que temos um bom plantel, o melhor das 5 épocas do Bruno de Carvalho, com algumas lacunas, que nos dá uma boa base para trabalhar daqui para a frente. Este ano as aquisições foram bastante assertivas – a excepção será o Matheus Oliveira que não tem, nunca teve, e acho que dificilmente terá, andamento para jogar num clube como o Sporting – e tivessem sido assim nos dois anos anteriores de certeza que não tínhamos as limitações que temos e seriamos muito mais fortes. Continuar a ler “Sporting – Findo o segundo ciclo, o que é que se perspectiva?”

Anúncios

Vila da Feira e o que se segue

Por Miguel Condessa

Uma equipa de futebol tem um plantel com 20 e qualquer coisa jogadores porque se sabe que não podem jogar sempre os mesmos 11 nem se pode recorrer sempre aos mesmos 14 jogadores em todos os jogos.
Hoje em dia também toda a gente sabe, ou devia saber, que ter atitude e entrega ao jogo e ter uma boa intensidade de jogo durante os 90 minutos é tão importante como toda a parte técnica de um jogador. Quem não tem entrega ao jogo, quem não mete intensidade no seu futebol ou quem tem défice técnico ficará sempre bem atrás de quem consegue juntar as
duas componentes quando está em campo. E, reforço, não é atrás, mas é BEM atrás… Continuar a ler “Vila da Feira e o que se segue”

O futebol feminino e o conceito de projecto

sporting feminino

Por Miguel Condessa *

Pegando numa nova modalidade do clube, que gosto bastante e sigo sempre que posso, vou tentar explicar aqui o meu entendimento para aquilo que devia ser o rumo base do clube nas diversas modalidades, sendo depois em cada uma delas aplicada uma componente referente à sua especificidade e uma componente económica derivada do
orçamento próprio da modalidade em questão.

Num clube que se formou para ser tão grande como os maiores da Europa, o Sporting aspira sempre a lutar pelos títulos internos em cada modalidade e, internacionalmente, onde for possível, também! É esse o objectivo do clube, no geral, e deve ser esse o objectivo de cada modalidade, mesmo quando, num dado momento, isso parece longe.
Não se podendo lutar pelo título este ano, que se trabalhe para que isso seja possível num futuro próximo.

Ora o Sporting reactivou a secção de futebol feminino na época passada – 2017/2017!
Foi formada a secção de futebol feminino, foi criado o corpo directivo e o corpo técnico, foi feita a equipa principal, foram formados os escalões de formação e deu-se inicio a um projecto que tem como principal objectivo, como foi dito e vincado, tornar a equipa de futebol feminino do Sporting uma das oito melhores da Europa – quer isso dizer que lutaremos por chegar com frequência e consistentemente aos quartos-de-final da Women Champions League, quiçá até a umas meias-finais! Parece-me um excelente objectivo, ainda que bastante ambicioso para o que era o panorama do futebol feminino nacional no verão passado. Continuar a ler “O futebol feminino e o conceito de projecto”

Hoje Escreve o Mister #16

Por Pedro Sousa

Acabei de ver um tal de Teo Gutierrez a encostar a cabeça a um árbitro assistente no campeonato argentino, levando um amarelito, depois de uma decisão controversa a um colega seu de equipa.

Quando o clube a quem pertence o seu passe ainda pensa num possível regresso, fico a pensar se existe alguma ponderarão desportiva necessária a um clube trilhar o caminho do sucesso com este perfil de jogador, que nunca apreende nada, não demonstra inteligência emocional, e muito menos respeito pela equipas que representa!
E já não é a primeira vez com este tipo de atitudes, degradantes, conflituosas e condenáveis a árbitros, como podem ver no vídeo abaixo já com algum tempo…

Este exemplo serve para todos os clubes, onde mais importante que contratar bons jogadores, torna-se imperial explorar, investigar e perceber se são bons profissionais e acima de tudo excelentes Homens.
Para mim é um dos itens mais importantes do scouting de um clube, mas nem todos pensam assim quando chega a hora de recrutar.

O início da construção de uma equipa de sucesso , começa neste tópico, pois é a partir dele que se obtém bons grupos e extraordinários colectivos, importante para todas as equipas que querem obter os êxitos pretendidos.

Hoje Escreves tu #18 – Uma Chama imensa

Por António Boronha

É a época deles, dos incêndios. Naquele que lavra lá para os lados de Carnide os ‘bombeiros’ convocados têm revelado um amadorismo total, quando não, tendências pirómanas, mesmo. A delimitação dos danos torna-se cada vez mais complicada. Só lhes digo que, visto daqui, a 300 quilómetros de distância, é…
Uma Chama Imensa.

Hoje Escreves Tu #17

Por Sérgio Barata Custódio

“O futebol já foi mais técnico”, é uma frase que ficou na história do humor, mas que hoje em dia bem que poderia ser substituída pela frase, “o futebol já foi mais lógico”. Ou melhor, nem é o futebol, mas sim o que sobre ele se vaticina. A sociedade em geral sofre do mesmo mal. Isto a propósito da transferência de hoje do Bernardo Silva, um excelente jogador que não foi aproveitado por Jorge Jesus.

Acho que é legítimo assacar-se responsabilidades ao agora treinador do Sporting. O que não é de todo coerente e lógico, é passar os últimos dois anos a fazer crer que este não teve grande méritos nos títulos ganhos, e que os mesmos foram sobretudo obra da “estrutura”, mas depois ao mesmo tempo ilibar a estrutura dos erros e colocá-los quase exclusivamente na mesma pessoa. Mais que não seja, a brilhante estrutura demorou demasiado tempo a perceber que afinal de contas pagava a peso de ouro alguém que fazia um trabalho que poderia ser remunerado por 10 vezes menos, com resultados igualmente satisfatórios.

As coisas nunca são exactamente assim tão lineares, mas da mesma forma que não se pode por cá apedrejar uma mulher caso se seja muçulmano (ainda), também não é com a grandeza, com os títulos, ou com a consecutividade dos mesmos, que se pode dizer tudo e o seu contrário, como se nada fosse, como se qualquer palermice fosse lei.

Hoje Escreve o Mister #15 – O podre jornalismo português

Por Pedro Sousa

A propósito do título desta notícia publicada pelo Jornal O Jogo.  Continuar a ler “Hoje Escreve o Mister #15 – O podre jornalismo português”