Stade Français conquista o seu primeiro título europeu no Rugby Challenge Cup

Nota prévia: o jogo disputou-se na passada sexta-feira. Só agora pudemos elaborar um conjunto de anotações sobre a partida que deu o primeiro título ao europeu ao Stade Français. Assim que possível também iremos fazer uma breve análise à final da Champions Cup, jogo que foi disputado no sábado entre o Clermont e os ingleses dos Sarracens

Foi no grande palco de Murrayfield (Estádio Nacional Escocês, em Edimburgo) que os franceses do Stade Français puderam levantar pela primeira vez um troféu europeu. À 5ª final (os franceses perderam duas Champions e duas Challenges) disputada, os parisienses puderam finalmente conquistar um dos títulos que tanto ambicionaram nas últimas décadas com uma vitória bem conseguida sobre os ingleses do Gloucester por 25-10. Moralizados pelo falhanço da “anunciada” fusão com os vizinhos do Racing Metro 92, os responsáveis da equipa parisiense puderam encontrar nesta conquista europeia um argumento válido para fazer perdurar a história do seu emblemático clube. Continuar a ler “Stade Français conquista o seu primeiro título europeu no Rugby Challenge Cup”

Anúncios

Hoje Escreves Tu #15 – Falta um bom projecto no Sporting

Por Miguel Condessa

Depois de ter tido 24 jogadores (1 plantel inteiro) nos 2 anos que leva no clube, Jesus ainda não está satisfeito e quer nova revolução no plantel – mais meio plantel novo?
Nada de estranho! A sua carreira tem sido assim em todo o lado: carradas de jogadores novos todos os anos para aproveitar 10% ou 20% deles…

O que é pior que esta realidade é termos um presidente que leva 4 épocas completas de mandato e já meteu no clube 45 jogadores (2 planteis inteiros), ganhou um único titulo relevante com o treinador que pior tratou no clube, tem a mania que tem um projecto e é exigente… e se prepara para mais um ano carregadinho dos erros que tem feito principalmente nestes 2 últimos anos!

Cada vez me convenço mais que nós, adeptos, passaremos mais um ano muito difícil e triste!
Ao menos que as modalidades funcionem… Rezemos!!

O golo do dia

A obra prima do português Tiago Amarchande (jogador de 19 anos formado no Alcabideche e no Benfica que representa actualmente o Napoli Calcio da Serie A italiana) na vitória dos napolitanos sobre o Imola no 3º jogo dos quartos-de-final da Liga Italiana de Futsal. Candidato seguramente a golo do ano na modalidade.

Remissão tardia?

“A única coisa que vos peço para a próxima época é que me deixem em paz, que me deixem trabalhar como eu achar melhor para depois poderem viver as alegrias que tanto merecemos. A próxima época será assim mais um momento crucial da minha passagem pelo Clube, e não existirá ninguém mais motivado do que eu para a Glória que tanto merecemos”

Nós deixamos, presidente! Aliás, não temos feito outra coisa desde 2013, voltando a eleger-te em 2017 para mais 4 anos. Durante os últimos 4 anos suportámos tudo: as tuas guerras (algumas da mais inteira e elementar justiça, outras que mais pareceram birras infantis), a tua postura de presidente-adepto, os gozos e clichés com que nos brindaram os rivais à guisa das palavras que proferes mas cujo alcance não medes, a falta de títulos, as tuas críticas aos atletas das modalidades, gente que honra o clube perante a desgraça que se vê no futebol, assim como as tuas famosas (e ridículas) selfies. Suportámos tudo e apoiámos-te a ti, ao teu treinador, às tuas equipas, à malta das modalidades, com um espírito de resiliência ímpar porque acreditámos e continuamos a acreditar. Não és tu nem ninguém que nos há de tirar essa esperança porque como a nossa cor e o nosso passado nos indica, somos provavelmente os adeptos mais inquebrantáveis do mundo: um dia, até podemos cair numa 2ª distrital e olha que se não fossem os teus esforços, estivemos bem perto de lá cair, mas até aí, nas catacumbas, no maior dos ocasos, estaremos sempre lá. E sabes porque é que estaremos sempre lá? Porque queiras ou não, o Sporting é parte de nós. Uma parte muito importante das nossas vidas. Desculpa lá presidente: enquanto escrevo isto vem-me algumas lágrimas ao rosto. Nós não sabemos viver sem o Sporting! Essa é a mais crua das verdades da nossa modesta existência.

Continuar a ler “Remissão tardia?”

O futebol dos processos simples

Somado há menos de 10 minutos na asfixiante vitória (3-0, à hora em que escrevo este post) do City frente ao West Bromwich Albion. Minimalismo de processos no seu estado puro, rompendo por completo um bloco baixo em poucos toques.

Aguero esconde-se atrás do seu marcador directo (o central Craig Dawson), dá uns passos atrás para oferecer o “apoio frontal entre linhas” a Yayá Touré (arrastando também o outro central, Johnny Evans) e com o passe acaba por tirar da jogada o “testa de área” Claudio Yacob, abrindo a passadeira que permitiu a penetração para a área de Yayá Touré.

Giro de Itália – Etapa 10 – Tom Dumoulin dinamita a concorrência no crono e arremata a camisola rosa

Que prova do holandês! Que prova fantástica que o chefe-de-fila da Sunweb realizou no crono individual de 39,8 km disputado durante a tarde de hoje!

A prestação individual de Tom Dumoulin no crono era efectivamente um dos maiores senão o maior foco de interesse para a etapa. Para além de o considerar o principal favorito à vitória na etapa, sabia perfeitamente que o holandês poderia ganhar 1 minuto\1 minuto e meio a Nairo Quintana, diferença que lhe permitiria no final da etapa chegar à liderança da geral individual. Contudo, não previa, nem mais optimista das previsões a possibilidade deste cavar uma diferença abismal para todos os favoritos, dando 2 minutos e 7 segundos a Vincenzo Nibali (o ciclista da Bahrein-Mérida até acabou por se defender muito bem no contra-relógio) 2 minutos e 17 segundos de avanço a Bauke Mollema, 2:42 a Thibault Pinot, 2:53 a Nairo Quintana e 3:07 a Domenico Pozzovivo.  Continuar a ler “Giro de Itália – Etapa 10 – Tom Dumoulin dinamita a concorrência no crono e arremata a camisola rosa”

Porquê tanta crítica a alguém que “nunca” se viu jogar?

No meu reino, o reino onde sou um mero peão, anda toda a gente histérica: “mau, outro!”, “mais do mesmo”, “não vejo diferenças significativas para o Schelotto”, “mais um que vai tapar o lugar a um jovem da Academia” – estes são os argumentos mais lidos no reino em que os adeptos perderam (e bem) a tolerância em relação às decisões (casmurras) do seu treinador. O pobre Cristiano, pagou com as favas. Ele, homem que ainda nem sequer pode trabalhar em Alvalade durante meio minuto, já é parte de um cenário de previsível desgraça… que ainda nem sequer começou! Continuar a ler “Porquê tanta crítica a alguém que “nunca” se viu jogar?”