5 pontos sobre a partida do Vicente Calderón

1. Entusiasmo. A esperança, o veículo transportador de sonhos, natureza viva na mente de todos os adeptos de futebol. O Vicente Calderón mostrou o seu orgulho, acreditou, vibrou, cantou e no final aplaudiu o esforço dos seus guerreiros. Para os adeptos colchoneros pouco interessou o resultado da primeira mão ou a insuficiente exibição realizada pela equipa no jogo disputado no outro lado da capital espanhola. A alegria romântica típica dos adeptos motivou-os a irem ao Calderón declarar o amor eterno que sentem pelo clube, galvanizando a equipa para 20 minutos diabólicos que me fizeram lembrar aquele jogo mítico realizado frente ao Barcelona nos quartos-de-final da Champions 2013\2014. Por momentos, acreditámos todos que a remontada era possível. Diego Simeone e os adeptos do Atlético de Madrid terão obrigatoriamente que estar orgulhosos da prestação dos seus atletas na partida de hoje A péssima imagem deixada na primeira-mão no Bernabéu foi emendada no Calderón com uma primeira parte de pura voracidade. Continuar a ler “5 pontos sobre a partida do Vicente Calderón”

O golo do dia

Para mim é desde 2013 o melhor lateral esquerdo do mundo. E isso pode-se medir pela preponderância capital que o lateral esquerdo brasileiro possui nos processos de jogo do Atlético de Madrid. 50% das transições ofensivas dos colchoneros fazem-se através do seu lateral. 75% do jogo colchonero cai nos seus pés para que o brasileiro possa armar os seus fantásticos cruzamentos. Vemos vezes e vezes sem conta o brasileiro a palmilhar terreno “campo fora” com a bola nos pés, sendo um dos elementos mais desequilibradores (só não é o mais desequilibrador porque joga com Koke e Antoine Griezmann) da equipa.
Fantástico trabalho do lateral com os seus avançados. Duas tabelas que destruíram por completo uma defesa e denotam que Diego Simeone tem vindo a realizar trabalho de casa.

Fayçal Fajr, o facilitador

fayçal Fajr

Nos últimos jogos do Deportivo tem sobressaído o internacional marroquino Fayçal Fajr. Eis um exemplo de um jogador valiosíssimo para qualquer meio-campo. Fayçal não é veloz, não é nem nunca será um portento técnico nem será um jogador que se faça anunciar pela fantasia. A sua versatilidade posicional, característica que o permite jogar em todas as posições do meio-campo, a rapidez de pensamento e a inteligência com que joga, tornando mais fácil e mais limpa a complexa construção de jogo da equipa galega, ao descobrir sempre aquela linha de passe para o jogador mais propenso a gerar o efeito continuidade ao jogo da equipa, permitem a este Depor, uma equipa com muita falta de qualidade, respirar com alguma tranquilidade acima da linha-de-água. As características que acabei de escrever para descrever o jogador marroquino nascido em França, mais concretamente em Rouen podem ser analisadas ao pormenor aqui, ao mais alto nível (por se tratarem de equipas que pressionam no limite) frente ao Barça e Atlético de Madrid: