Os golos do dia

Uma estreia de sonho para Ben Woodburn. Frente à selecção austríaca, na sua primeira internacionalização pelo País de Gales, o criativo extremo esquerdo de 17 anos, jogador que na temporada passada convenceu Jurgen Klopp a promovê-lo da equipa de sub-16 do clube à equipa principal manteve intactas as esperanças do País de Gales no Grupo D de qualificação. 5 minutos depois de ter entrado para o lugar de Tom Lawrence, o jovem de 17 anos conquistou os 3 pontos para os galeses com este golaço ao ângulo num remate de meia distância. Enquanto os austríacos estão praticamente eliminados (8 pontos frente aos 13 da Irlanda; selecção que hoje empatou na Geórgia), os galeses ganharam com este golo um novo balão de oxigénio na sua campanha, nas vésperas de um decisivo Sérvia vs Irlanda.

Continuar a ler “Os golos do dia”

O golo do dia

Na primeira parte do jogo inaugural da Bundesliga na nova temporada, o Bayern venceu por 3-1. O futebol dos bávaros não foi o melhor, e até viveu, na 1ª parte, das facilidades concedidas pela estratégia de jogo montada pelo treinador dos farmacêuticos Heiko Herrlich. Nos primeiros 45 minutos, creio que a equipa de Leverkusen cometeu um erro estratégico que deu imenso conforto ao Bayern na partida ao pressionar (pouco e mal) à entrada do seu meio-campo. O plano de jogo idealizado por Herrlich permitiu a uma equipa que já por si gosta de sair a jogar com toda a segurança (a verdade é que tem imensos jogadores para o fazer; começando pelos seus centrais; no entanto, em cada transição, Vidal ou Rudy baixavam até aos centrais para receber a bola e iniciar o momento de construção) o domínio das acções a meio-campo. Aplicando a habitual circulação de bola de pé para pé (aliada à extrema mobilidade de todo o sector ofensivo) no corredor central à procura do espaço livre para entrar dentro do bloco adversário de maneira a poder flanquear o jogo para a projecção dos laterais (por vezes com o auxílio em terrenos interiores de Franck Ribèry e Thomas Muller) a formação bávara manietou o meio-campo da formação de Leverkusen. Não foram muitas as situações de perigo criadas pela formação de Ancelotti na primeira meia hora, mas, a progressão no terreno concedeu as oportunidades que os bávaros precisaram para construir a vantagem de 2-0. Em dois lances de bola parada aqui retratados ao segundo. Continuar a ler “O golo do dia”

Arturo Vidal!

Se este lance acontecesse há 5 anos atrás, o médio chileno “stickava” de primeira contra os adversários que tinha à sua frente. No Bayern, Arturo Vidal ganhou claramente a “inteligência germânica” que faltava ao seu jogo. Em vez de executar um remate de primeira que não lhe iria garantir proveitos, no curtíssimo espaço de tempo que teve para pensar, levantou a cabeça, leu todo o frame que se encontrava diante de si e tomou a opção mais correcta. Nem todos os jogadores são capazes de fazer. Arrisco-me até a dizer que poucos são capazes de fazer isto na grande área da irracionalidade. 

Que estreia! Comprar bem, com critério, no mercado interno

10 minutos de jogo. The Hoffenheim Connection. Sempre que pesca no mercado interno, o Bayern compra bem.

Imagem do dia

O cumprimento de uma tradição! O Bayern é penta campeão alemão! E a tradição poderá prolongar-se por muitos anos se os restantes “grandes” (coloquei grandes entre aspas porque no fundo o Bayern não deixa nenhuma outra equipa da Bundesliga ser grande, pelo menos no que respeita ao nível de títulos conquistados) não fizerem algo de significativo nas próximas temporada, numa fase em que todos (Bayer de Leverkusen, Schalke, Borussia de Dortmund, Wolfsburg, Hamburgo, Borussia de Monchengladbach) parecem estar a enfrentar uma fase menos positiva onde se salienta uma certa falta de estratégia a médio\longo prazo em alguns, e renovação no caso do Wolfsburgo. Quando o mais directo perseguidor à Estrela do Sul, clube que tanto admiro pela sua organização, pela sua atitude arrogante, e pela alegria dos seus adeptos, foi o RB Leipzig (sensacional época de estreia na prova na “banda de Emil Forsberg”, jogador que sai altamente valorizado da presente temporada e que terá decerto muita gente a chateá-lo durante o verão!) até… à viragem para a Zwei Runde, creio que está tudo explicado sobre a incapacidade dos demais em construir equipas que possam ombrear com os bávaros.

Hoje escreve o Mister #3

Por Pedro Sousa, treinador de futebol

Quando vejo tantos treinadores a ensinar isto, dá vontade de os mandar prender!! E a este nível deviam ficar na bancada somente a ver os jogos e não a treinar!

“Vais a casa de banho e o defesa vai contigo.”

O desporto profissional não é compatível com os estudos? Outro ponto de vista

É.

No dia de ontem foi notícia a indisponibilidade para o jogo do Vicente Calderón de Kai Havertz, jovem de 17 anos que tem vindo nos últimos meses a alinhar pela equipa principal do Bayer de Leverkusen, devido a um exame escolar importante. Estamos portanto a falar de uma decisão tomada ao mais altíssimo nível por um clube em relação à não-utilização de um atleta numa partida que poderia render milhões (se o Bayer vencesse e pudesse seguir em frente na competição) ao clube em detrimento do futuro do próprio jogador.

Poucos clubes e poucos dirigentes europeus, pelo menos aqueles que possuem altas responsabilidades nos clubes de topo tem essa clareza de raciocínio quando são chamados a pronunciar-se neste tipo de questões. Nos clubes portugueses são por vezes até os próprios pais que metem a carroça à frente dos bois: se o menino se vai profissionalizar ou tem condições para chegar à profissionalização, começa a funcionar na cabeça dos encarregados de educação o que eu denomino de pensamento em forma de “válvula de escape” – o menino vai profissionalizar-se, vai ganhar bem e vai-nos promover a ascensão social. Não lhes importa portanto se a carreira de profissional do filho poderá gorar-se no minuto seguinte, ficando o ser humano cortado de apoios e de conhecimento para adoptar subitamente outra carreira profissional. O que interessa no momento, no imediato, são os milhões que ele poderá ganhar. Muitos daqueles que possuem esse tipo de pensamentos são os mesmos que em determinada altura da vida dos filhos não conseguem lidar com a frustração de um ser que não conseguiu cumprir com os seus objectivos pessoais e com os objectivos que lhe foram impostos durante anos pelos próprios pais.  Continuar a ler “O desporto profissional não é compatível com os estudos? Outro ponto de vista”