Está encontrado certamente o mais apurado apontamento humorístico da temporada

A gaffe do guarda-redes do Mainz Robin Zentner na partida disputada contra o Borussia de Monchengladbach!

Anúncios

O golo do dia

Na primeira parte do jogo inaugural da Bundesliga na nova temporada, o Bayern venceu por 3-1. O futebol dos bávaros não foi o melhor, e até viveu, na 1ª parte, das facilidades concedidas pela estratégia de jogo montada pelo treinador dos farmacêuticos Heiko Herrlich. Nos primeiros 45 minutos, creio que a equipa de Leverkusen cometeu um erro estratégico que deu imenso conforto ao Bayern na partida ao pressionar (pouco e mal) à entrada do seu meio-campo. O plano de jogo idealizado por Herrlich permitiu a uma equipa que já por si gosta de sair a jogar com toda a segurança (a verdade é que tem imensos jogadores para o fazer; começando pelos seus centrais; no entanto, em cada transição, Vidal ou Rudy baixavam até aos centrais para receber a bola e iniciar o momento de construção) o domínio das acções a meio-campo. Aplicando a habitual circulação de bola de pé para pé (aliada à extrema mobilidade de todo o sector ofensivo) no corredor central à procura do espaço livre para entrar dentro do bloco adversário de maneira a poder flanquear o jogo para a projecção dos laterais (por vezes com o auxílio em terrenos interiores de Franck Ribèry e Thomas Muller) a formação bávara manietou o meio-campo da formação de Leverkusen. Não foram muitas as situações de perigo criadas pela formação de Ancelotti na primeira meia hora, mas, a progressão no terreno concedeu as oportunidades que os bávaros precisaram para construir a vantagem de 2-0. Em dois lances de bola parada aqui retratados ao segundo. Continuar a ler “O golo do dia”

Arturo Vidal!

Se este lance acontecesse há 5 anos atrás, o médio chileno “stickava” de primeira contra os adversários que tinha à sua frente. No Bayern, Arturo Vidal ganhou claramente a “inteligência germânica” que faltava ao seu jogo. Em vez de executar um remate de primeira que não lhe iria garantir proveitos, no curtíssimo espaço de tempo que teve para pensar, levantou a cabeça, leu todo o frame que se encontrava diante de si e tomou a opção mais correcta. Nem todos os jogadores são capazes de fazer. Arrisco-me até a dizer que poucos são capazes de fazer isto na grande área da irracionalidade. 

Que estreia! Comprar bem, com critério, no mercado interno

10 minutos de jogo. The Hoffenheim Connection. Sempre que pesca no mercado interno, o Bayern compra bem.

Imagem do dia

O cumprimento de uma tradição! O Bayern é penta campeão alemão! E a tradição poderá prolongar-se por muitos anos se os restantes “grandes” (coloquei grandes entre aspas porque no fundo o Bayern não deixa nenhuma outra equipa da Bundesliga ser grande, pelo menos no que respeita ao nível de títulos conquistados) não fizerem algo de significativo nas próximas temporada, numa fase em que todos (Bayer de Leverkusen, Schalke, Borussia de Dortmund, Wolfsburg, Hamburgo, Borussia de Monchengladbach) parecem estar a enfrentar uma fase menos positiva onde se salienta uma certa falta de estratégia a médio\longo prazo em alguns, e renovação no caso do Wolfsburgo. Quando o mais directo perseguidor à Estrela do Sul, clube que tanto admiro pela sua organização, pela sua atitude arrogante, e pela alegria dos seus adeptos, foi o RB Leipzig (sensacional época de estreia na prova na “banda de Emil Forsberg”, jogador que sai altamente valorizado da presente temporada e que terá decerto muita gente a chateá-lo durante o verão!) até… à viragem para a Zwei Runde, creio que está tudo explicado sobre a incapacidade dos demais em construir equipas que possam ombrear com os bávaros.

Os Truques da Bola

Já nem disfarçam a alegria quando souberam que o jogador ia ser titular. A primeira inclusão do ano (e já vamos em Abril) do jogador teve direito a honras de Estado por parte do Jornal A Bola. Da titularidade do português frente ao Hoffenheim não existiu nada para “vender” e tudo se consumou nisto. No quê? Sim, nas severas limitações deste jogador!

Bloco de Notas da História #6 – A despedida de Lukasz Podolski

Quando idealizei a criação desta rubrica, pretendia accionar e assinalar no presente a memória pessoal ou colectiva de acontecimentos históricos do mundo do desporto. Contudo, nada me impede de utilizar a rubrica para narrar a História presente do mundo do desporto. Ontem fez-se história no jogo amigável disputado em Dortmund entre a selecção alemã e a selecção inglesa. E que História! O icónico Lukasz Podolski despediu-se para sempre da Mannschaft num jogo marcado para homenagear o jogador, fazendo jus à sua maior qualidade enquanto futebolista: o poderoso e apurado pontapé canhão (de canhota) que o celebrizou e que o fez alinhar em três das maiores equipas mundiais.

Continuar a ler “Bloco de Notas da História #6 – A despedida de Lukasz Podolski”