Andebol: Sporting 29-28 FC Porto – Vitória agridoce marcada novamente pelo dedo da dupla de arbitragem

Nota introdutória: Há algumas semanas atrás, a propósito do empate cavado pela dupla de arbitragem do jogo realizado no Pavilhão da Luz entre Benfica e Sporting, já tínhamos mencionado (em tom crítico) um certo esforço para retirar o Sporting da contenda pelo título. No Pavilhão do Casal Vistoso, no “mata-mata” que se verificou entre Sporting e Porto, jogo em que os leões precisavam obrigatoriamente de vencer por 2 golos de diferença (desde que o Porto não marcasse 27 golos, superando os 26 marcados pelo Sporting no Dragão Caixa no jogo da 1ª volta desta fase final) ou por 3 golos de diferença para poderem saltar para a liderança na prova no final desta antepenúltima jornada, a dupla de arbitragem (Eurico Nicolau e Ivan Caçador de Leiria) decidiu validar um golo obtido fora do tempo de 60 minutos a Miguel Martins (27º; 28-27) contra a indicação do cronometrista presente. Eurico Nicolau e Ivan Caçador foram portanto mais uma vez, em nome da vil classe do apito, dignos representantes de uma estratégia que visa atribuir o título ao Futebol Clube do Porto.

Ao 4º jogo da presente temporada do Campeonato Nacional de Andebol 1, pode finalmente o Sporting do professor Hugo Canela, bater o seu maior rival na competição, garantindo 3 pontos que à luz do que passou no final do jogo, não colocarão a liderança da prova nas garras do leão em virtude da vantagem mantida pelos portistas no confronto directo entre as equipas nos dois jogos realizados na fase final. Contudo, salienta-se que a vitória alcançada pelos leões foi inteiramente justa pela superioridade demonstrada em relação ao adversário em praticamente todos os momentos da partida e pela capacidade em como a equipa conseguiu emendar os erros cometidos que lhe custaram pontos nos jogos anteriores frente aos portistas. O Sporting conseguiu finalmente contornar com sucesso a armadilha defensiva montada pelo técnico portista Ricardo Costa quando este utiliza sistemas de defesa homem-a-homem. Continuar a ler “Andebol: Sporting 29-28 FC Porto – Vitória agridoce marcada novamente pelo dedo da dupla de arbitragem”

O dedo do senhor árbitro também passou pelo Andebol

Benfica e Sporting acabaram de empatar (29-29) no Pavilhão da Luz num jogo que terminou de forma emocionante. Não pude ver mais do que os últimos 15 minutos mas pude felizmente ver um apanhado daquilo que foi todo o jogo. E não, não estou a falar dos minutos inteiros que o Benfica pode atacar, pelo menos no que concerne ao segundo tempo, sem que a dupla de arbitragem assinalasse jogo passivo. A coisa foi mais grave. Nos minutos finais existiram dois lances (um mal invalidado e outro mal assinalado) que permitiram o empate ao Benfica.

O primeiro quando foi anulado um golo em contra-ataque ao lateral cubano Frankis Carol quando o resultado estava 27-27. Apesar da imagem não ser a melhor, podemos ver que o árbitro está atento ao lance e tem visibilidade para perceber se o jogador pisa ou não a linha de 6 metros no momento da chamada para o remate. Não só não pisa como podemos verificar pela imagem que o pé até está alguns centímetros atrás da linha dos 6 metros. O árbitro faz a sinalética correspondente a uma invasão de área por parte do jogador do Sporting

E o Benfica pode respirar e avançar para o 28-27 numa 2ª parte em que me parece que os jogadores do “centro” da defesa do Sporting (Igor Zabic, Cláudio Pedroso, Frankis Carol) deram uma faixa de rodagem para que o pivot encarnado Paulo Moreira pudesse ser fornecido.

Já dentro do minuto final, é marcado o livre de 7 metros que garante o 29-28 ao Benfica por invasão da área de 6 metros por parte de Edmilson Araújo no preciso momento que o lateral direito encarnado Alexandre Cavalcanti está em acção de remate. Como se pode ver novamente na imagem, o jogador do Sporting não está sequer a pisar a linha de 6 metros quanto mais a invadir a área restritiva.

Não podendo marcar falta em acção de remate porque apesar de existir contacto no controlo defensivo por parte do jogador do Sporting, o jogador do Benfica remata em condições (Lei 14 do Andebol) e não existe, uma clara oportunidade de golo porque efectivamente o jogador não está frente a frente com o guarda-redes. Mesmo assim, a dupla de arbitragem decidiu inverter a lógica assente na Lei 14, assinalando um livre de 7 metros por uma invasão que nunca aconteceu no momento do remate. O correcto seria a marcação de um livre de 9 metros.

Com estas duas acções, a dupla de árbitros que hoje se deslocou ao Pavilhão da Luz poderá ter ajudado a decidir o título nacional, entregando-o ao FC Porto.

Sporting vence ABC em Braga e estreia-se a ganhar na fase final do Campeonato de Andebol

ab

27-25 foi o resultado final de uma vitória arrancada a ferros no Flávio Sá Leite, reduto dos campeões nacionais em título. Jogo muito emotivo do princípio ao fim, pese embora essa mesma emotividade não se tenha traduzido num espectáculo de qualidade técnica do princípio ao fim do jogo. As duas equipas jogaram a um ritmo muito baixo na primeira parte e na 2ª foram apesar do aumento do pace da partida, foram muitas as falhas técnicas cometidas quer pela equipa comandada por Carlos Resende quer pela equipa comandada pelo Prof. Hugo Canela.

Continuar a ler “Sporting vence ABC em Braga e estreia-se a ganhar na fase final do Campeonato de Andebol”

Sporting vence Benfica (35-28) e está na Final Four da Taça de Portugal de Andebol

Confesso que só conseguir ver a 2ª parte do jogo disputado esta tarde no Pavilhão do Ginásio do Sul em Almada. Com uma entrada de leão no 2º tempo, os comandados de Hugo Canela clivaram a vantagem que permitiu um final de jogo mais ou menos descansado. Para o desfecho final do resultado valeram aos leões as grandes exibições de Cláudio Pedroso e Carlos Carneiro, curiosamente, jogadores que se destacaram ao longo de várias épocas no clube rival da 2ª circular.

Continuar a ler “Sporting vence Benfica (35-28) e está na Final Four da Taça de Portugal de Andebol”