Deo(s) do drible

Pese embora não me tenha sido possível, por razões do foro pessoal, assistir em directo às duas partidas, quando abri o computador para conferir os resultados das partidas desta noite, fiquei felicíssimo com a vitória alcançada pela nossa equipa de futsal e com a notícia do apuramento para a final four por via da derrota sofrida pelo adversário (Dínamo de Moscovo) que se constituia, em teoria, como o mais complicado desta fase. Os belgas do Halle-Gooik decidiram poupar os nossos corações ao drama experienciado precisamente há um ano contra os russos, naquele escaldante e dramático empate 3 bolas que nos abriu portas ao sonho europeu!

A idade teima em não querer passar por Deo. Aos 35 anos, o brasileiro continua a ser tão explosivo no drible quanto o era há 15 anos atrás, quando, aos 20, chegou a Alvalade. A idade e a experiÊncia acumulada limaram-lhe porém a tomada de decisão, tornando-o um jogador mais sereno, menos individualista, mais objectivo e menos propenso À tomada de decisões arriscadas em zonas comprometedoras do terreno de jogo. Todos se lembrarão certamente do jogador que Deo era há 10 anos atrás. Havia muita magia nos seus pés e muitos lances de génio que decidiam jogos, mas também existia muita ingenuidade, muita irregularidade (exibicional) e alguns momentos de pura infantilidade (naqueles lances em que o jogador, ocupando temporariamente a posição de fixo na organização ofensiva, tentava sair a jogar em drible) nos quais o brasileiro oferecia (de bandeja) golos ao adversário.

Um título inteiramente justo

Alex Merlim. Sempre Alex Merlim. Sempre que a equipa precisou de um desequilibrador, o italo-brasileiro esteve sempre lá!

14º título. O Sporting conquistou hoje pela 14ª vez o Campeonato Nacional de Futsal. A vitória no 4º jogo em Braga colocou justiça à melhor temporada da história da modalidade em Alvalade. Os comandados de Nuno Dias conquistaram apenas 2 dos 5 títulos que poderiam ter sido conquistados na presente temporada, mas para trás, deixaram um inigualável rasto de bom futsal. Se fizermos apenas uma excepção ao jogo da final da Uefa Futsal Cup (de longe o pior jogo do Sporting na presente temporada) fico com a sensação que a equipa tinha todas as condições para conquistar todos os títulos internos.

Continuar a ler “Um título inteiramente justo”

Derrota justa mas pesada para o Sporting

Ainda não foi desta que o Sporting se pode tornar campeão europeu. 6 anos depois da participação na última final, os leões sofreram uma pesada derrota por 7-0 frente ao Inter Movistar de Ricardinho. Este foi em 5 anos, o primeiro jogo em que a equipa leonina não marcou qualquer golo com Nuno Dias ao leme.

 

Créditos: Zona Técnica

Apesar de justa, a derrota é muito pesada para a falta de sorte que a equipa teve na 2ª parte quando jogava numa organização 5×4 com recurso ao guarda-redes avançado. Se até aos 4-0, o resultado explicou-se essencialmente pelas falhas defensivas leoninas, pelo maior ascendente ofensivo do Inter Movistar na partida, pela sua maior eficácia na finalização e quer queiramos quer não por um dedinho do árbitro romeno Bogdan Sorescu na marcação de algumas faltas inexistentes que carregaram o Sporting e pressionaram a equipa no sistema de pressão média (essencialmente linhas 2 e 3) que a equipa estava a realizar com alguma eficácia, a partir desse resultado, o mesmo foi-se avolumando graças ao natural aproveitamento de erros resultantes do sistema ofensivo utilizado pela turma leonina.

Por outro lado, o guardião Jesus Herrero faz um excelente exibição com 10 defesas e o Inter Movistar acabou por ter alguma sorte no capítulo dos ressaltos, quer no plano ofensivo quer no plano defensivo na oposição aos remates que a a equipa leonina ia fazendo da meia-distância.

Continuar a ler “Derrota justa mas pesada para o Sporting”