O golo do dia

Indiferentemente do momento, de sorte para o Benfica e azar para o Estoril, numa altura da partida em que os estorilistas estavam claramente por cima do adversário e estavam a destroçar por completo o meio-campo e a defesa encarnada com as suas pragmáticas iniciativas no contra-ataque, transições nas quais Kléber gozou de alguns privilégios dados pelos centrais encarnados, o golo de Jonas não deixa de ser um lance de génio de um jogador que aparece sempre que a equipa precisa.

Se o brasileiro não faz o segundo neste portentoso remate, estou certo que mais tarde ou mais cedo, o Estoril seria capaz de operar a reviravolta.

Que grande jogo de Taça!

Emoção até ao final num jogo que teve direito a todos os ingredientes: bom futebol, transições rápidas, falhas defensivas, dois golaços, falhas dos dois guarda-redes (Júlio César é claramente mal batido no lance do 2º golo do Estoril; Luis Ribeiro fica muito mal na fotografia do 1º golo do Benfica), grandes defesas por parte de ambos noutros lances, bolas nos postes e muita ambição por parte do Estoril para dar a volta ao resultado mesmo até quando Jonas parecia ter sentenciado a eliminatória que acabou curiosamente por ser decidida com um golo irregular de Kostas Mitroglou na Amoreira na 1ª mão.

Não vou estar aqui a esmiuçar o jogo porque confesso que não vi com os “olhos” com que usualmente costumo ver tudo o que aqui vou relatando. Deixo apenas uma nota final direitinha para a equipa do Estoril: pelo que voltei a ver de vários jogadores (cito: a dureza de Dankler, factor que é sempre positivo num central quando essa dureza acontece num clima controlado; o critério, a velocidade e a inteligência que Matheus Indio põe nas transições, principalmente para o contrgolpe; a movimentação, a combatividade e a presença de Bruno Gomes; o posicionamento exemplar e a capacidade de pressão de Diogo Amado) se este Estoril tivesse começado bem a temporada com um treinador como o que actualmente ocupa o cargo (Pedro Emanuel), com a belíssima equipa que possui, estaria provavelmente hoje a lutar pelo acesso aos lugares europeus.

Cristiano total

É o melhor do mundo da actualidade? É, com certeza! É o melhor jogador da história do futebol? Declaro-me suspeito para responder a esta pergunta porque um dia existiu um senhor chamado Diego Armando Maradona. Continuo e continuarei fiel a El Pibe. Vale a pena acumular 50% do valor do bilhete em descontos no cartão continente para ver um “Cristiano Ronaldo total” brilhar desta forma? Não. Todos os que adquiriram o bilhete para ir ao Estádio da Luz ver a joga tremenda do nosso capitão deveriam ser obrigados a ir gastar  na Sonae 50% do valor que pagaram no bilhete para o jogo porque o preço do mesmo foi escasso para tanto Ronaldo em campo!

A fome de vencer deste jogador é absurdamente inesgotável! Quem foi hoje assistir à partida na Luz viu o futebol total do jogador.Viu o Ronaldo dos dribles categóricos, o finalizador, o acelerador, o desbloqueador de jogos, o exímio batedor de bolas paradas. O espectador viu portanto tudo o que haveria para ver do maior one-man-show do planeta!