Os golos do dia

Começo este post pela Liga Ledman. É verdade que desde o início deste blog em Março não tenho dado o maior dos destaques à nossa 2ª liga. Não tenho o dom da ubiquidade nem consigo, no turbilhão de provas, jogos, notícias, rumores que acontecem ou saem cá para fora todos os dias, ter disponibilidade para acompanhar a fundo a prova. Para já tenho tentado acompanhar ao máximo o percurso da Académica, pelas razões sentimentais que me ligam ao clube e à bela cidade de Coimbra.

Pude ver, durante o dia de hoje uma generosa parte do jogo entre a equipa B do Sporting e o Cova da Piedade. Do que vi gostei de algumas prestações. A que mais me encantou foi a de Rafael Barbosa. Cada vez mais acredito que face aquela que considero ser para já a única pecha no plantel principal (um substituto à altura de Adrien; considerando que Battaglia pode ser, caso William não venha a sair, um jogador capaz de fazer com alguma eficiência o papel de Adrien; pelo menos nos aspectos defensivos, o argentino tem capacidade para poder substituir o capitão; nos aspectos ofensivos, creio que o jogador tem evidentes lacunas que tem necessariamente de ser trabalhadas, com a sua técnica de passe à cabeça) se o médio mantiver este rendimento (é agressivo na disputa da bola, pressiona bem, recupera imensas bolas, é rápido e efectivo a lançar o ataque ou a criar em terrenos mais adiantados) poderá ser o primeiro jogador a saltar da equipa B para a equipa principal.  Continuar a ler “Os golos do dia”

Anúncios

Sporting 1-0 Fiorentina – aspectos positivos e aspectos negativos da exibição do Sporting

Aspectos positivos  Continuar a ler “Sporting 1-0 Fiorentina – aspectos positivos e aspectos negativos da exibição do Sporting”

Dois anos de Paulo Sousa – zero evolução

Com muita pena minha como “tiffosi viola” o ciclo do técnico viseense (nem os Repesenses o quer neste momento) termina tal e qual como começou no Verão de 2015:

  1. com uma equipa com muitas dificuldades para sair a jogar a partir de trás (do sector defensivo; os clássicos “escorregões” que permitem imediatamente o lançamento de contra-ataques venenosos; ainda mais contra uma das equipas mais intensas que o futebol italiano tem para oferecer no capítulo da pressão e mais mortíferas no contra-ataque em virtude do virtuosismo técnico, da velocidade e da capacidade de finalização dos seus homens da frente)
  2. Um sector defensivo em que ninguém se entende, em que ninguém verdadeiramente comanda, em que existe sempre um homem que não é capaz de subir atempadamente no terreno para colocar o adversário em fora-de-jogo
  3. Um sector defensivo incapaz de cortar profundidade ao adversário. Imensa falta de intensidade nos momentos de pressão (se já custa aos defesas sair para criar a armadilha do fora-de-jogo, misturem essa dificuldade com um par de médios, Badelj e Vecino, que anda ali no meio-campo literalmente por andar, quando deveria estar em cima dos organizadores adversários para lhes “cortar” o tempo para pensar e executar de forma a permitir que a defesa possa subir)
  4. Um defesa central (Gonzalo Rodriguez) que mais parece interessado em fazer do campo um ringue de boxe
  5. Uma articulação ofensiva na transição que visa exclusivamente colocar a bola numa primeira fase para o ponta-de-lança (as famosas descidas de Kalinic no terreno) para que o croata devolva imediatamente para Ilicic ou para o Valero e “fé no que o Valero” possa fazer porque do Ilicic já sabemos que dos pés do esloveno só existe uma solução possível (um drible para enquadrar e chumbo para a baliza adversária).
  6. Muita falta de trabalho. 2 anos completamente desperdiçados pelos Viola com um treinador, castigados com a mais inteira justiça nos resultados obtidos: bye bye Europa League.

Os golos do dia

Ainda há uns dias escrevi aqui neste blog, para refutar de resto a ideia que alguns adeptos portugueses tendem a manter sobre o futebol italiano, que muitas vezes o tesouro encontra-se facilmente nas equipas do meio da tabela. Senão vejamos estes 3 momentos:

Empoli 3-1 Bologna

4 golos, todos eles de uma proeza técnica assinalável num jogo que teve um pace altamente frenético, pace que de resto é uma constante no Empoli das últimas 2 temporadas, apesar da equipa toscana estar neste momento a lutar arduamente pela manutenção na Serie A. Destaque evidente para o golo dos visitantes, golo no qual o jovem médio ganês Godfred Donsah, jogador que vem de uma nova escola de médios africanos de enormíssima qualidade (Amadou Diawara do Napoli, Assane Diousse do Bologna, Alfred Duncan do Sassuolo), serve com um passe de 60 metros a entrada de Simone Verdi no flanco direito, reduzindo ao minimalismo a acção de contragolpe da equipa da Emilia Romagna. O resto é um trabalho magnífico do extremo do Bologna sobre os defesas do Empoli para colocar a bola no enquadramento perfeito para o seu fantástico tiro de canhota! Continuar a ler “Os golos do dia”

Fiorentina 5-4 Inter: Um hino ao futebol!

Numa semana em que as atenções dos portugueses estiveram focadas essencialmente no derby entre Sporting e Benfica, nos acontecimentos acessórios que se passaram fora das 4 linhas, e no clássico do futebol espanhol, “escapou pelo canto do olho” o magnífico espectáculo de futebol que Fiorentina e Inter protagonizaram em Itália. Um espectáculo enorme que contraria a pré-concebida ideia que muitos adeptos da modalidade no nosso país tem vindo a idealizar às cegas (sem ver um único jogo) nos últimos anos sobre o futebol italiano. Continuar a ler “Fiorentina 5-4 Inter: Um hino ao futebol!”

Bloco de Notas da História #10 – O 45º aniversário de Rui Costa

Continuar a ler “Bloco de Notas da História #10 – O 45º aniversário de Rui Costa”

O novo estádio da Fiorentina

Fiquei aparvalhado. Que estádio, que obra de arquitectura e que obra de engenharia!

O novo estádio da Fiorentina foi pensado ao pormenor, respeitando por completo a herança histórica artística dos grandes mestres da arte da cidade com o seu traçado octogonal, sem descurar ao mesmo tempo a sua funcionalidade, na estética, o rápido escoamento de pessoas em dia de jogo, o puro conforto dos espectadores e a sua sustentabilidade ambiental.