Tudo o que Robben deu para que o milagre acontecesse

arjen robben

Eu não sei, que mais posso ser
Um dia rei, outro dia sem comer
Por vezes forte, coragem de leão
As vezes fraco assim é o coração
Eu não sei, que mais te posso dar
Um dia joias noutro dia o luar
Gritos de dor, gritos de prazer
Que um homem também chora
Quando assim tem de ser(…)

Pedro Abrunhosa – Tudo o que eu te dou – 1993 – editada somente em 2005 no álbum Intimidades.

O rei do futebol despediu-se da sua selecção. De forma inglória, oferecendo tudo o que tinha, para tornar o que era impossível num verdadeiro milagre, para transformar um ciclo de 4 anos absolutamente patético (no qual acima de tudo, creio que o problema residiu na mudança do paradigma de aposta na formação; a formação holandesa tem vindo a perder qualidade; as equipas holandesas tem-se abastecido ainda mais fora do país e, comprando literalmente tudo o que mexe na formação de outros países, com especial enfoque para a formação países nórdicos; basta olhar para os planteis dos 6 principais clubes daquela liga – Ajax, Feyenoord, PSV, Twente, Vitesse e AZ Alkmaar – para o constatar;) no qual não pode dizer que a laranja mecânica tenha construído um bom colectivo porque não o construiu.
Continuar a ler “Tudo o que Robben deu para que o milagre acontecesse”

Análise – Liga Europa – Quartos-de-final – Ajax 2-0 Schalke 04

De banhinho (de futebol) tomado com direito a massagem tailandesa e várias passagens de shampoo pela cabeça! Foi assim que os talentosos meninos do Ajax, já retratados em duas ocasiões neste blog por mim e por um dos nossos autores convidados, o Miguel Condessa, trataram os seus convidados desta noite na Amesterdam Arena no jogo a contar para a 1ª mão dos quartos-de-final da Liga Europa. Sem uma única ideia na cabeça para contrariar o belíssimo futebol dos jovens holandeses, o Schalke o4 de Marcus Weinzierl foi completamente subjugado pela equipa treinada por Peter Bosz e muito dificilmente irá passar dos quartos-de-final. Bom ambiente no estádio do Ajax. O exigente público holandês está ciente que esta equipa poderá voltar a devolver o clube ao mais alto patamar de excelência do futebol europeu. Talento e vontade não lhes faltam!

A ausência de 5 jogadores influentes (Johannes Geis, Breel Embolo, Sead Kolasinac, o avançado Choupo-Moting e o central Naldo; a juntar a outras lesões como a dos laterais Coke, Uchida, Sasha Rieter e do avançado Franco Di Santo)  na equipa alemã explicam muita coisa mas não explicam tudo: uma coisa que não explicam foi o laxismo dos 11 que a equipa alemã apresentou hoje. Parecia literalmente que os jogadores do Schalke estavam a fazer um frete ocasional. Isso explica muito do comportamento irregular apresentado ao longo desta temporada pela explica, mas, não explica a derrota. Do lado do Ajax, o carregador de piano Lasse Schone cumpriu na bancada a sua suspensão de 1 jogo por acumulação de amarelos e o jovem maestro Kasper Dolberg ficou no banco em virtude do facto de ter recuperado recentemente de uma lesão.

Como é que joga este Ajax? Continuar a ler “Análise – Liga Europa – Quartos-de-final – Ajax 2-0 Schalke 04”