A estupidez de Budag Nasirov e a aposta em jogadores de desenvolvimento na equipa B do Sporting

Segundo a lei 3 das regras do jogo, ponto 7, Se o jogo é interrompido e a interferência foi causada por:
• um elemento oficial de uma equipa, um suplente, um jogador substituído ou um
jogador expulso, o jogo recomeça com um pontapé-livre direto ou pontapé de penálti

A decisão tomada pelo árbitro da partida no lance que podem ver no vídeo em epígrafe é portanto… correcta.

Há uns tempos, em conversa com o Miguel, autor convidado deste blog, a propósito do que ele escreveu neste post, referi-lhe a minha opinião muito particular quanto à estratégia que deverá ser seguida daqui em diante na equipa B do Sporting. Referi nessa conversa a ideia que a equipa B do Sporting está a ser, desde a sua formação em 2012, palco para todo o tipo de experimentalismos de jogadores vindos de “outros planetas” a troco de praticamente nada quando deveria servir exclusivamente em primeiro lugar a transição de atletas do departamento de formação para o escalão sénior e em segundo lugar para o desenvolvimento de jogadores em que haja um mínimo criterioso de garantias em como poderão um dia ascender ao plantel principal. Continuar a ler “A estupidez de Budag Nasirov e a aposta em jogadores de desenvolvimento na equipa B do Sporting”

Hoje Escreves tu #14 – Como avaliar a era Jesus, Mestre da Táctica, no Sporting? – 2ª parte

Nota introdutória: este post é a 2ª parte do post aqui publicado durante o dia de ontem.

Por Miguel Condessa

A minha maneira de ver e pensar um plano para uma equipa de futebol, seja ela qual for, mas que também se aplica a qualquer equipa de qualquer modalidade com as devidas adaptações, passa por ir incrementando qualidade ano após ano. E um dia seremos campeões porque estaremos a cada ano mais fortes e mais apetrechados para o ser. Pode demorar 2 anos,3, 4, 5, alguns, mas chegaremos lá! Irá sempre depender de alguns factores internos, como de onde partimos, e alguns externos, como por exemplo em que patamar estão os nossos rivais. Esse plano passa por analisar uma época, vamos chamar-lhe a época zero, com incidência no 11 base e nos 14/15/16 jogadores mais utilizados, escolher 2 posições para melhorar e apostar em 2 boas contratações para essas posições de modo a serem titulares de caras. Depois, em paralelo, é ir preparando a boa prata da casa para um dia subir à equipa A e depois para um dia estar preparada para substituir um ou outro jogador que se tenha distinguido e seja vendido. Continuar a ler “Hoje Escreves tu #14 – Como avaliar a era Jesus, Mestre da Táctica, no Sporting? – 2ª parte”