Mas que raio de tolice é esta?

Se os motivos apresentados pela Marca forem verídicos (já temos o chip formatado de origem para a desconfiança; confiamos ainda menos quando a imprensa pode apresentar ao longo do dia várias teses para justificar o falhanço nas negociações entre os dois clubes ; durante a tarde, o mesmo órgão de comunicação social referia que a transferência não foi concluída porque um grupo de adeptos do clube andaluz teria alegadamente criticado a possível contratação do lateral esquerdo holandês) não conseguimos compreender a razão que alegadamente motivou a direcção do Sporting a pretender colocar uma cláusula anti-rival neste verdadeiro cepo. Recuperar 3 milhões na venda de um jogador cujo valor de mercado actual é 0 seria uma extraordinária venda para os cofres leoninos. Para além do mais, é este o tipo de jogadores que queremos ver actuar nos rivais. Veja-se o exemplo de Andre Carrillo: tamanha excitação (para não lhe chamar de tesão) na altura da contratação do jogador, terminou numa saída de malas aviadas para o Watford de Marco Silva sem ter correspondido a 1 \10 das expectativas que lhe foram depositadas pelos adeptos do Benfica. Estou certo que em Janeiro, o peruano será novamente recambiado para a Luz, para, poder ser encostado, à direita, na equipa B.

O medo do video árbitro segundo Rui Vitória

“Creo que puede haber una tendencia para que el juego cambie. Los jugadores van a tener de ser más fuertes psicológicamente, van a tener que pasar muchas veces de la frustración al éxito y al revés. Va a ser muy natural ver a un jugador celebrar un gol que podría decidir un partido y que luego, pasados 15 ó 20 segundos, se dé marcha atrás y se anule la jugada. Por ello va a haber que trabajar la mentalidad de los futbolistas. Se van a tener que acostumbrar a que las decisiones cambien. A nivel defensivo también deberá haber cambios. Será normal que un árbitro asistente deje seguir jugadas que, después, puedan ser analizadas a través del vídeo. De ahí que una defensa acostumbrada a jugar adelantada para intentar dejar en fuera de juego a los contrarios vaya a tener que acostumbrarse a seguir la jugada hasta el final.”Rui Vitória, Jornal A Marca, 09-06-2017 – entrevista realizada por Nuno Luz.

Na entrevista concedida ao Jornal A Marca através do conhecido correspondente Nuno Luz, o treinador do Benfica concedeu-nos mais uma pérola vinda do fundo do escuro poço de sonsice e hipocrisia. A fonte de hipocrisia deste poço jorra abundantemente sem cessar. Serão realmente estes os motivos que levam o treinador do Benfica a ficar assustado com a introdução do video árbitro na próxima temporada? Queiram-me perdoar todos os ingénuos, mas, todos percebemos que esta é uma pergunta de retórica. Continuar a ler “O medo do video árbitro segundo Rui Vitória”