Que golaço!

De primeira sem deixar bater no chão, do médio ofensivo internacional japonês Gaku Shibasaki, inaugurando o marcador no Coliseum Alfonso Perez nos minutos finais da primeira parte da partida frente ao Barcelona. Fiquei com muito boa impressão deste jogador japonês nos primeiros 45 minutos. Parece-me ser o único jogador que “pensa fora da caixa” nesta mediana (mas bem organizada defensivamente) equipa do Getafe.

 

Os golos da jornada

Começo este post com o lance que deu origem ao primeiro golo do Inter na vitória dos nerazzurri por 2-0 sobre o recém promovido SPAL no jogo disputado durante a tarde de hoje no Giuseppe Meazza. A equipa de Luciano Spaletti está a conseguir realizar um prometedor arranque de temporada. Com 3 vitórias em 3 jogo e um futebol de um grau de qualidade muito aceitável, Spaletti parece estar a querer elevar o nível na formação nerazzurri. Veremos até onde este ciclo de vitórias se poderá estender.

Frente ao SPAL, modesta equipa patrocinada pela histórica e homónima empresa de porcelanas mundialmente conhecida que tem a sua sede na cidade de Ferrara (Emília Romagna; zona do vale do Pó) a formação do Inter teve algumas dificuldades para conseguir chegar ao primeiro golo em função das dificuldades criadas pela boa cobertura posicional do adversário no seu bloco recuado. Uma boa jogada realizada no interior do bloco adversário valeu a conquista (a João Mário) da grande penalidade que Mauro Icardi concretizou.  Continuar a ler “Os golos da jornada”

A hipocrisia de Javier Tebas

javier tebas

Fonte: Mais Futebol. 

A toque de caixa de Josep Maria Bartomeu, dirigente que poderá ter comprometido no caso Neymar a sua sobrevivência na presidência do Barcelona em virtude do vexame popular a que foi exposto no último mês, Javier Tebas, presidente da Liga Espanhola de Futebol continua, a abrir fogo sobre o PSG e sobre o Manchester City. A base argumentativa que é utilizada junto da UEFA pelo principal dirigente de La Liga no que concerne à base que sustenta as sistemáticas violações de ambos os clubes às regras do fairplay financeiro da UEFA é válida (os dois clubes fazem efectivamente concorrência desleal a grande parte dos clubes de europeu visto que são suportados informalmente nos bastidores pelos fundos soberanos dos Emirados Árabes Unidos e Qatar) é muito válida mas soa a alguma hipocrisia se atentarmos ao histórico dos clubes espanhóis na última década e a um caso particular ocorrido no presente verão no futebol espanhol. Continuar a ler “A hipocrisia de Javier Tebas”

O golo do dia

44 passes durante 107 segundos. A bola passou pelos 11 jogadores do Real. Paciência na construção. Construção de flanco a flanco à procura do momento ideal para entrar. Movimentações de todos os jogadores para ceder a melhor e a mais segura linha de passe possível de maneira a assegurar que quando recebiam mantinham o adversário longe (logo, pouco capaz de intervir) e a equipa mantinha a posse. Também não posso de maneira alguma não referir que a equipa do Deportivo foi muito cordeirinha nesta jogada. Cordeirinha e pouco agressiva.

Os golos da semana

Apesar de não ter escrito muito nos últimos sobre “Bola” (aquela, redondinha, que rola pelo campo e que faz mover 22 homens) o sensacional slalom do argentino não nos passou em claro. Genial jogada do argentino sobre 6 jogadores para fechar a participação na Liga, numa vitória amarga dos catalães em virtude do facto do Real de Cristiano Ronaldo ter conquistado no domingo o seu 33º título espanhol.

Continuar a ler “Os golos da semana”

Legal ou ilegal? O estranho golo de Nacho contra o Sevilla

Completamente legal. Assim que Undiano Mallenco apitou e assinalou a falta com a sinalética do seu braço em direcção à baliza da equipa infractora o livre pode ser cobrado rapidamente sem dar tempo à outra equipa de formar uma barreira. Foi o que fez o defesa do Real Madrid aproveitando uma autêntica “patice” dos sevilhanos (um início de partida completamente desastroso ao nível da organização defensiva, diga-se; no capítulo ofensivo a equipa sevilhana conseguiu nos primeiros minutos tirar a bola das zonas de pressão que o Real Madrid tipicamente exerce no miolo nos momentos de transição através de processos de jogo a um toque, de forma a criar várias situações de perigo no último terço, explorando as alas) no lance em questão. Um dos ensinamentos base do futebol de formação consiste em colocar sempre um jogador à frente do esférico para impedir a cobrança rápida do livre. Os sevilhanos esqueceram-se dos “fundamentos básicos” e sofreram um golo inesperado que abriu portas a uma goleada.

O avançado completo que é Alvaro Morata

O momento frente ao despromovido Granada não é o mais ideal para se realizar uma análise séria e rigorosa sobre o quer que seja. Estando os merengues a jogar contra uma equipa que está neste preciso momento a definhar até ao final da temporada, seria de esperar à partida uma vitória relativamente fácil destes no terreno dos andaluzes. Continuar a ler “O avançado completo que é Alvaro Morata”

A arte de defender mal os flancos – Real Madrid 2-1 Valência

Os chés até fizeram uma exibição agradável no plano ofensivo com a constante procura de criar situações de finalização para os seus avançados em profundidade ou através de um profícuo jogo de tabelas, mas, mais uma vez, a equipa valenciana confirmou a razão pela qual está a realizar uma péssima temporada tendo em conta a qualidade dos jogadores que compõem o seu plantel. Continuar a ler “A arte de defender mal os flancos – Real Madrid 2-1 Valência”

Messi gelou o Bernabéu e reabriu a luta pela Liga Espanhola

Recebeu, fintou, criou o desequilíbrio a meio-campo, deu a progressão a André Gomes (hala!), Jordi Alba assistiu e La Pulga apareceu precisamente onde gosta de finalizar para enviar a bola para o canto inferior esquerdo da baliza de Keylor Navas. Vez, outra vez, na última jogada do encontro, ao 2º minuto de compensação dado por Hernandez Hernandez, o argentino decidiu o superclássico, chegando ao seu golo 500 com a camisola blaugrana. Com um toque de classe e de clara superioridade moral perante um silencioso Bernabeu (que gélido balde de água que foi despejado naquele minuto final) o argentino foi à linha de fundo, tirou a camisola e exibiu-a ao público madrileno para que nunca se esqueçam dele. Apesar do facto do Real Madrid ainda ter um jogo em atraso para cumprir frente ao Celta de Vigo (uma das equipas em melhor forma no futebol de nuestros hermanos) com o golpe de teatro perpetrado, o argentino salvou o Barça do abismo, espantou alguns dos fantasmas que tem vindo a atormentar a equipa nas últimas semanas e devolveu a equipa à luta pelo título.

Continuar a ler “Messi gelou o Bernabéu e reabriu a luta pela Liga Espanhola”