Liga dos Campeões de Andebol – Sporting 34-27 Besiktas – O sonho comanda a vida

aljosa cudic

As várias intervenções directas (defesas) e indirectas (o ror de bolas que os turcos enviaram aos postes ou para fora provocadas pelos seus fantásticos deslocamentos; deslocamentos que tiveram o condão de fechar ângulos e de retirar opções de remate aos jogadores da formação turca) que o croata Aljosa Cudic realizou ao longo da partida, levaram-me a elegê-lo como a melhor exibição individual da fantástica exibição colectiva realizada pela formação leonina no jogo deste final de tarde frente aos turcos do Besiktas. 

A intemporal e imortal frase escrita por António Gedeão no seu mítico poema “Pedra Filosofal” resume aquele que será o sentimento dominante em todo o universo que tem acompanhado esta equipa de Andebol do Sporting. Se Hugo Canela referiu e bem, no flash interview realizado logo após o final dos 60 minutos que em virtude deste triunfo (o 3º em 7 jornadas) “o nosso sonho continua vivo” (o sonho do apuramento para os oitavos-de-final da prova) e que o “sonho só depende de nós, graças a Deus”, nós, adeptos incondicionais desta formação campeã, só temos que afirmar de viva voz que continuamos a acreditar na exequibilidade deste nosso sonho, sonho que, a concretizar-se, será um feito inédito na história do clube. Resta-vos a vós, jogadores, treinadores, equipa médica, direcção da secção, direcção do clube trabalhar afincadamente nas próximas semanas para transformar esse sonho em realidade. Sabemos que os dois jogos que viremos a disputar no leste, na Rússia e na Ucrânia serão jogos de um enorme grau de complexidade em virtude da qualidade dos jogadores do Medvedi e do Motor e que a recepção ao Metalurg só terá certamente uma pequena “vantagem” do nosso lado: a natureza efusiva e apaixonada dos nossos adeptos. No entanto também sabemos, e é isso que nos dá um certo fundo de garantia, que para além de amarem o clube como nós o amamos, os nossos jogadores tem uma inexcedível entrega ao jogo. Qual coração de leão de Ricardo, atirem-se sem piedade ao pescoço dos gajos. Transformem cada defesa num contra-ataque vitorioso, aproveitem cada deslocamento em falso do adversário para entrar aos 6 metros, sejam agressivos nos controlos e atentos nas mudanças de marcações ou nas entradas dos pontas aos 6 metros. Acreditem, malta!

Perante o incrível ambiente de festa e de apoio que foi proporcionado pelos 1114 adeptos que se deslocaram ao Pavilhão João Rocha para ver a partida da 7ª jornada do Grupo D, a formação leonina atingiu a sua 3ª vitória na presente fase de grupos, vitória que colocou o Sporting na 3ª posição do grupo, a 2 pontos (uma vitória) da formação ucraniana do Motor. Continuar a ler “Liga dos Campeões de Andebol – Sporting 34-27 Besiktas – O sonho comanda a vida”

Anúncios

Liga dos Campeões de Andebol – Sporting 29-33 Montpellier – Tivesse sido a atitude outra…

Terminou há minutos no Pavilhão João Rocha a partida referente à 5ª jornada do Grupo (última ronda da primeira volta) do Grupo C de qualificação entre Sporting e os vice-campeões franceses do Montpellier, formação que reforçou em Alvalade a sua invicta liderança do grupo.

Face ao altíssimo desempenho defensivo e ofensivo que a formação comandada por Hugo Canela conseguiu realizar nos últimos 15 minutos da partida, em contraste com o péssimo (em alguns períodos foi medíocre) desempenho nos restantes 45 minutos (em especial nos primeiros 15) posso afirmar sem qualquer pejo que a formação leonina, poderia ter sacado outro resultado (um resultado mais positivo para as suas aspirações; aspirações que ficaram hoje completamente comprometidas – para passar aos oitavos-de-final, os leões necessitarão de vencer todos os jogos que lhe restam, tarefa que não será propriamente fácil se considerarmos que ainda terá de jogar nos terrenos hóstis do Medvedi e do Montpellier e ainda dependerá de uma muito peculiar conjugação de resultados) se tivesse adoptado uma atitude mais positiva, mais ousada, mais agressiva e menos receosa nos minutos iniciais. Não posso porém deixar de referir que do outro lado da quadra estava uma das equipas mais poderosas do actual panorama do andebol europeu. Repleta de internacionais (vários internacionais franceses; e não falo de internacionais de circunstância; Valentin Porte e Michael Guigou são dois jogadores históricos da selecção francesa) esta equipa do Montpellier, formação que no ano passado conseguiu rumar até aos quartos-de-final da prova, não tem dado hipóteses à 2 e 3ª divisão do andebol europeu que têm encontrado nesta fase de grupos. Sabendo que qualquer deslize neste grupo é fatal (em função dos diminutos lugares passíveis de apuramento para as fases seguintes da prova), os franceses não facilitaram. Se por um lado poderia considerar  como natural (nada atípico) um comportamento mais receoso por parte da equipa do Sporting (porque na verdade, a formação leonina é na sua quase total globalidade, uma equipa com pouca experiência nestas andanças – excepção feita a jogadores como Carlos Ruesga, Ivan Nikcevic e Tiago Rocha) por outro lado creio que o jogo desta tarde também se poderia ter constituído como o palco perfeito para a equipa do Sporting empolgar-se para uma boa exibição, “soltando as amarras” de um pequeno complexo de inferioridade que teima em desaparecer do andebol português. Exemplo disso tem sido por exemplos as exibições descomplexadas da equipa do Besiktas, a formação que em teoria é a mais fraca do grupo. Os turcos tem sido completamente descomplexados no seu jogo, facto que lhes tem valido exibições e vitórias muito interessantes na prova nas últimas edições desta.

Continuar a ler “Liga dos Campeões de Andebol – Sporting 29-33 Montpellier – Tivesse sido a atitude outra…”

Sporting 31-29 Chekhovskie Medvedi (resumo)

Frente ao eterno e poderoso campeão russo do Chekhovskie Medvedi (vencedor das últimas 18 edições do campeonato daquele país) os bravos leões arrecadaram, com alguma distinção até (liderando o marcador a partir do 8-7, resultado que se verificava aos 13″ de jogo) a 2ª vitória (em 4 partidas realizadas) no grupo D da fase de grupos da edição da temporada 2017\2018 da EHF Champions League. Para bater a formação russa, a formação comandada por Hugo Canela contou com uma soberba exibição do indomável Frankis Carol (6 golos; em dia sim, o cubano é o panico total para as defesas adversárias) e com uma eficaz exibição do pivot Michal Kopco, jogador que à semelhança de Carol também terminou a partida com 6 tentos somados. Pelo meio, ainda houve espaço para uma demonstração de poder físico do panzer Pedro Valdés (o poderoso lateral cubano que o Sporting foi recrutar à Artística de Avanca) e para alguns momentos de espectáculo, caso do lance aéreo protagonizado entre os dois pontas (finalização de Nikcevic).

champions league

Fonte: O Artista do Dia 

A equipa leonina é neste momento 4ª do Grupo D com os mesmos pontos do Motor Zaporozhye e do Besiktas, tendo no entanto mais uma partida realizada que estas equipas. De acordo com o actual formato da competição, a formação leonina precisa de se apurar nas duas primeiras posições do grupo para disputar uma espécie de “meia-final” na qual os dois primeiros dos Grupos C e D se enfrentarão por duas vagas para os oitavos-de-final da competição, visto que, as equipas primeiras classificadas dos grupos A e B (disputadas a 8 equipas pelas equipas mais cotadas nos coeficientes de clubes da EHF) passarão directamente aos quartos-de-final enquanto as 10 que se posicionarem entre a 2ª a 6ª posição da tabela seguirão para os oitavos.

Na próxima jornada, a 15 de Outubro, o Sporting receberá a fortíssima formação Montpellier, formação que conta no seu plantel com diversos jogadores de top mundial como são os casos dos internacionais franceses no activo Vincent Gerard, Michael Guigou, Valentin Porte, Mathieu Grébille e Ludovic Fabregas e do internacional argentino Diego Simonet, e do lateral direito internacional esloveno Vid KavticinicNa edição da época passada a formação francesa chegou até aos quartos-de-final da competição. Para ter hipóteses de continuar na luta, a equipa de Hugo Canela precisa obrigatoriamente de vencer esta partida, sabendo de antemão que também precisará de conquistar a difícil partida que terá na Ucrânia face ao Motor Zoporozhye.

Paris Saint Germain: uma escola de artistas que vai bem para além do futebol

Das clássicas rosquetas dos pontas Uwe Gensheimer e “Lucky” Luc Abalo, de ângulo aberto ou de ângulo totalmente fechado (repare-se o ângulo de ataque que tem Abalo no momento do remate) passando pela eficácia do enorme monstro das balizas (que só não é na minha opinião o melhor guarda-redes da história do Andebol porque vi jogar no passado personagens de importância, eficácia e estilo transcendente como Mats Olsson, Andrey Lavrov e o alemão Henning Fritz) que é Thierry Omeyer, à magia que sai constantemente das mãos do lateral direito Nedim Remili: em Paris a magia ultrapassa por completo os relvados. E não se esgota em todos os actores citados. O carácter possante dos dinamarqueses Henrik Mollgard e Mikkel Hansen (laterais esquerdos) do pivot sueco Jesper Nielsen, e a magia e organização que os centrais Daniel Narcisse e Nikola Karabatic colocam no jogo dos parisienses, fazem desta a equipa mais completa e espectacular da história do andebol.

É talentoso e é português!

Diogo Branquinho, o talentoso ponta-esquerda do ABC de Braga. Com muita pena minha, irá ao que tudo indica representar o FC Porto na próxima temporada.

Aqui ficam os extraordinários golos que o ponta marcou na Liga dos Campeões. Estes golos não foram marcados contra a equipa da esquina, contra o guarda-redes da esquina nem foram obtidos em ambientes com um nível de pressão baixo. Foram roscas atrás de roscas contra os melhores guarda-redes do andebol europeu.