Sporting – MFC Kherson (1ª parte)

pedro cary

No jogo de estreia da formação leonina no Grupo 3 da 1ª ronda de qualificação da UEFA Futsal Cup, na Sérvia, no final dos 20 minutos regulamentares relativos ao primeiro tempo, o Sporting está a bater tranquilamente os ucranianos do MFC Kherson por 3-0 com golos de Pedro Cary e Rodolfo Fortino.

Os dois primeiros foram obtidos na sequência de dois pontapés de canto: no primeiro, Cary desmarcou-se para rematar à entrada da área e no segundo Fortino marcou um golaço de meia distância com um volley de primeira. Não me foi possível ver o 3º golo, tento que também foi obtido pelo pivot italiano nos segundos finais do 1º tempo. O Sporting teve mais 3 oportunidades para dilatar a vantagem. Numa jogada de 2×0 (frente ao guarda-redes) construída por Marcão e Fortino, o italiano serviu a entrada de Diogo pelo corredor central. O brasileiro escorregou na hora de finalizar. Noutros dois remates efectuados por Merlim nas suas clássicas inflexões em drible da esquerda para o centro, o guardião dos ucranianos fez duas elásticas defesas.

A 2ª parte do jogo poderá ser acompanhada na página oficial da secção de futsal do Sporting 2ª parte do jogo poderá ser acompanhada na página oficial da secção de futsal do Sporting (foi possível ver o jogo em directo até aos últimos 5 minutos da primeira parte) ou então, em alternativa, no site da UEFA. 

 

Um título inteiramente justo

Alex Merlim. Sempre Alex Merlim. Sempre que a equipa precisou de um desequilibrador, o italo-brasileiro esteve sempre lá!

14º título. O Sporting conquistou hoje pela 14ª vez o Campeonato Nacional de Futsal. A vitória no 4º jogo em Braga colocou justiça à melhor temporada da história da modalidade em Alvalade. Os comandados de Nuno Dias conquistaram apenas 2 dos 5 títulos que poderiam ter sido conquistados na presente temporada, mas para trás, deixaram um inigualável rasto de bom futsal. Se fizermos apenas uma excepção ao jogo da final da Uefa Futsal Cup (de longe o pior jogo do Sporting na presente temporada) fico com a sensação que a equipa tinha todas as condições para conquistar todos os títulos internos.

Continuar a ler “Um título inteiramente justo”

A passo e meio do título

A um passo e meio do título. Porquê “a um passo e meio” quando só falta de facto dar um passo em frente na terça-feira?

Em primeiro lugar porque este Sporting de Braga tem uma excelente equipa e é uma equipa muito forte no seu reduto, como de resto pudemos ver no jogo 2.
Em segundo lugar, porque a equipa do Sporting de Braga é uma equipa, (como pudemos ver hoje nos 2 lances que Marinho desperdiçou a boca da baliza quando os comandados de Paulo Tavares já jogavam no 5 para 4) que tem capacidade (e espírito de combate) para recuperar de resultados desnivelados em duas ou três jogadas. No jogo desta noite, se Marinho consegue finalizar aquelas duas preciosas bolas que dispôs junto à baliza leonina, a vantagem de 4 que os leões demoraram 20 minutos e 10 segundos a construir, poderia ter sido amenizada para metade em apenas 30 segundos.
Em terceiro e último lugar, porque esta equipa do Sporting parece ser, em determinados momentos do jogo, uma equipa que sofre uma espécie de “apagões temporários” . No jogo 2 também o pudemos comprovar em duas situações: no início da partida quando entrou a dormir (0-2) e nos minutos finais, altura em que Marcão e companhia entregaram o ouro ao bandido literalmente por tuta e meia. Continuar a ler “A passo e meio do título”