Que assistência fantástica de Gabriel Jesus

 

A técnica, a combatividade, a raça, o portento atlético e o altruísmo de um avançado incrível que faz do seu índice de trabalho a sua maior arma. Gabriel Jesus é aquele avançado que quer sempre ir mais longe, que quer sempre saltar mais alto, que pretende chegar sempre mais rápido que o defesa, não sendo aquele avançado que pede a uma equipa para se moldar em redor das suas características, mas sim um avançado que se molda em função do que a equipa pretende que ele seja em cada momento do jogo. O brasileiro consegue realizar essa missão com uma enorme graciosidade, sem um exacerbado vedetismo e sem ruído à sua volta.

Neste lance é incrível a forma em como o avançado nunca perdeu, em nenhum momento, a noção do que deveria fazer com a bola e o posicionamento de Phillippe Coutinho, tomando no cabeceamento uma fantástica decisão que proporcionou (para além de uma bela dor de cabeça) um golo ao seu companheiro de selecção.

Os golos da semana

Apesar de não ter escrito muito nos últimos sobre “Bola” (aquela, redondinha, que rola pelo campo e que faz mover 22 homens) o sensacional slalom do argentino não nos passou em claro. Genial jogada do argentino sobre 6 jogadores para fechar a participação na Liga, numa vitória amarga dos catalães em virtude do facto do Real de Cristiano Ronaldo ter conquistado no domingo o seu 33º título espanhol.

Continuar a ler “Os golos da semana”

Phillippe Coutinho – quando meter menos um drible e colocar mais um passe é um sinal de maturidade

Quando pensamos no internacional brasileiro do Liverpool vem-nos à cabeça aquela acção clássica que o brasileiro executa tão bem quando recebe no flanco esquerdo, puxa a bola para o meio, tira 1 ou 2 adversários do caminho antes de rematar em arco. A acção que ao longo dos anos o jogador foi consumando como a sua imagem de marca, é uma faca de dois gumes: quando lhe sai, é algo absolutamente demolidor, provocando golos de estética fineza. Quando não lhe sai, o brasileiro emperra os esforços ofensivos da sua equipa com a sua obstinação. Por vezes, o que separa o canarinho do sucesso é aquele drible a mais, aquele drible que o desenquadra do local correcto para puxar do gatilho ou aquele drible que torna o esférico mais facilmente recuperável. Continuar a ler “Phillippe Coutinho – quando meter menos um drible e colocar mais um passe é um sinal de maturidade”