Ainda os aspectos positivos e os aspectos negativos da exibição do Sporting frente ao Mónaco

Na sequência deste post. 

No post de ontem realcei como aspecto positivo “a assertividade dos centrais do Sporting na abordagem a Kylian Mbappé”, sem descurar porém, neste âmbito, um aspecto que considerei negativo:

“Falha no controlo da profundidade. A falta de intensidade no momento de pressão também permitiu aos monegascos colocar uma série de bolas para as entradas de Mbappé nas costas dos centrais leoninos. O timing de passe para as entradas do avançado era oportuno bem como o seu tempo de entrada para escapar à armadilha do fora-de-jogo que Mathieu tentou colocar em diversos lances. No entanto, realço novamente a rapidez com que os centrais do Sporting chegaram ao avançado, anulando-se em 3\4 lances a possibilidade de ficar isolado na cara de Rui Patrício.” 

O vídeo acima postado permite-nos uma análise mais detalhada desses momentos.  Continuar a ler “Ainda os aspectos positivos e os aspectos negativos da exibição do Sporting frente ao Mónaco”

Sporting 2-1 Mónaco: os aspectos positivos e os aspectos negativos da exibição dos leões no seu jogo de apresentação

– 

Aspectos positivos:  Continuar a ler “Sporting 2-1 Mónaco: os aspectos positivos e os aspectos negativos da exibição dos leões no seu jogo de apresentação”

Análise: Juventus 2-1 Mónaco – Mais uma lição de bom futebol

Splendido! Suntuoso! Perfetto lavoro! A Juventus chega pela 2ª vez nas últimas 3 temporadas à final da Champions, carimbando a maravilhosa exibição no Stade Louis II com uma excelente primeira parte no Juventus Stadium. O Millenium de Cardiff será o palco onde os bianconeri jogarão novamente os sonhos de uma década.

A vitória da Juve nesta eliminatória, frente um Mónaco que ficou aquém das expectativas que foram naturalmente depositadas em função dos resultados que a turma de Leonardo Jardim acumulou nas anteriores eliminatórias, alicerçou-se essencialmente em factores: comportamento defensivo, rigor táctico e uma ampla capacidade de fazer a diferença no ataque através do “ataque posicional” (os jogadores aparecerem nas posições em que devem estar) nas saídas rápidas para o contra-ataque.
Continuar a ler “Análise: Juventus 2-1 Mónaco – Mais uma lição de bom futebol”

Análise: Mónaco 0-2 Juventus – Um trio mortífero!

O topo do cinismo ou o topo da inteligência na gestão de um jogo? Esta é a pergunta de partida que deixo no início desta crónica para que os leitores possam reflectir sobre o que se passou no jogo desta noite no Estádio Louis II. Uns dirão que a Juventus foi uma equipa cínica que viveu no erro do adversário, aproveitando os erros adversários para criar as jogadas de perigo que a turma italiana criou na partida. Outros dirão que os piemontesi foram muito inteligentes na forma em como abordaram todos os contextos que o jogo ditou. Nenhuma das “correntes de opinião” está totalmente errada mas também não explica 100% o desfecho final da partida. Temos obrigatoriamente que juntar ao cinismo e à inteligência\eficácia táctica defensiva dos bianconeri, o receio acumulado pelo Mónaco desde o início da partida e a subtil mudança que Leonardo Jardim protagonizou à identidade de jogo da equipa.  Continuar a ler “Análise: Mónaco 0-2 Juventus – Um trio mortífero!”

Golos do dia

O primeiro destaque vai obviamente para a jogada do golo do internacional croata (ex-Nacional da Madeira) Duje Cop na derrota do Sporting de Gijón (fizeram das tripas coração para sacar o empate ao Real de maneira a poderem continuar a lutar pela sobrevivência no primeiro escalão) por 3-2 frente ao Real Madrid. A assistência do basco Mikel Vesga para o internacional croata é simplesmente um hino ao futebol pela criatividade, inteligência, técnica e visão de jogo demonstrada pelo médio de 24 anos. Não é todos os dias que vemos um jogador de uma equipa que está “aflita” a assistir um colega para golo com uma chapeleta deste calibre por cima da defesa de uma equipa como o Real Madrid, ainda para mais com uma colocação de bola exímia para a chamada “zona da morte” do guarda-redes, ou seja, para a zona em que este ou é muito rápido a sair dos postes para conseguir socar ou agarrar, ou ficará a ver a bola passar a meio do caminho. A colocação da bola foi portanto completamente intencional. Genialidade no seu esplendor!

Os grandes pontas-de-lança aparecem sempre no tempo correcto, nos espaços certos e nos momentos em que a equipa mais precisa de toda a sua veia goleadora! Radamel Falcao já leva 26 golos e 6 assistências na presente temporada, temporada que começa a ganhar contornos épicos comparáveis “aos tempos de glória” de El Tigre no Porto e no Atlético de Madrid. Muitos (eu, inclusive) consideraram aquando da passagem do colombiano pela Premier que El Tigre estava acabado e que o melhor para a sua carreira seria “emigrar” para os milhões da América, a liga destinada aos milionários veteranos que ainda querem dar uma perninha enquanto colocam os seus rendimentos “ao fresco”. Enganei-me redondamente. E é por isso que no momento em que está tão próximo de poder vir a conquistar os títulos mais importantes da sua carreira, Leonardo Jardim não abdica dos préstimos da pérola cafetera. A diferença entre ter um bom ponta-de-lança e não o ter é esta: em 20 minutos tudo pode mudar quando se tem em campo um rato de área que procura e fareja através da pressão o erro do adversário, um jogador quer marcar e assistir para ajudar a equipa a ultrapassar um obstáculo difícil e um jogador que só precisou de dois tiros para fazer cair o melro.

El Tigre Radamel Falcao é efectivamente um jogador especial nos nossos corações!

Tudo é possível para o Mónaco de Leonardo Jardim?

Repetir exibições na Champions? Muitos dizem que dois jogos, ainda para mais a este nível, raramente são iguais. Repetir exibições numa fase final da Champions? Muitos dizem que é muito improvável senão mesmo impossível! Repetir 3 exibições tiradas a papel químico contra adversários como o Manchester City e Borussia de Dortmund, 2 delas a jogar na casa do adversário? Sim, o Mónaco de Leonardo Jardim tem a resposta: Oui, nous pouvons! Yes, we can! Querer é poder e eu começo a desconfiar que pela tranquilidade que esta equipa têm apresentado, pela concentração, pela personalização de todas as unidades (todos os jogadores do Mónaco sabem perfeitamente qual é o seu papel em campo), pela qualidade de jogo e pela bem armada estratégia face a todos os contextos de jogo, os monegascos desejam ardentemente jogar a final de Cardiff! E merecem-na jogar por toda a insolência que tem demonstrado na casa dos tubarões do futebol europeu!

Continuar a ler “Tudo é possível para o Mónaco de Leonardo Jardim?”