Deveria estar a trabalhar o jogador para ser o melhor médio de todos os tempos

Não: Carlo Ancelotti Ancelotti está a tentar (por todas as vias) explicar ao rapaz e ao seu empresário que não conta com o jogador para a próxima temporada.

 

 

O golo do dia

A “joga” de Alex Iwobi frente ao Bayern de Munique no jogo amigável disputado pelas duas equipas em Xangai. Continuar a ler “O golo do dia”

Análise – Campeonato da Europa de sub-21 – Portugal 2-0 Sérvia – A história de um jogo que tinha tudo para dar errado e deu certo

Uma estreia com o pé direito no grupo da morte deste Campeonato da Europa de sub-21. Uma estreia com o pé direito. Só. A selecção portuguesa fez em poucas oportunidades o que os estéticos sérvios não conseguiram fazer nas 6 ou 7 oportunidades de golo que tiveram ao longo dos 90″: marcar golos. Rui Jorge não é um gajo com estrelinha de campeão. Rui Jorge é um dos raros treinadores competentes nos quadros da Federação Portuguesa de Futebol. Contudo, não posso deixar de ressalvar que o futebol praticado pela selecção portuguesa foi qualitativamente inferior ao que foi praticado pelos talentosos jogadores sérvios, campeões do mundo de sub-20 há dois anos atrás, nos 90 minutos do jogo que terminou há minutos em Bydgoszcz na Polónia. Nem sempre ganha a selecção que pratica o melhor futebol. No entanto, por outro lado, a experiência dita-me que equipas que cometem os erros que foram cometidos pela formação nacional durante os 90″ muito dificilmente redundam numa vitória. Continuar a ler “Análise – Campeonato da Europa de sub-21 – Portugal 2-0 Sérvia – A história de um jogo que tinha tudo para dar errado e deu certo”

Hoje Escreves Tu #8 – Melhores dias virão, Renato Sanches

Por António Boronha, antigo vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, autor convidado regular do nosso blog.

“Após a ascensão meteórica da época passada, Renato Sanches enfrenta agora uma fase mais atribulada da sua ainda curta carreira.
(…)
O jornal alemão TZ, escreve esta quinta-feira sobre o médio português.
O título do artigo é:
‘Renato Sanches.
Quanto mais tempo terá o Bayern Munique de ter paciência?’.
Deixando várias críticas às prestações de Renato, que nem tem sido aposta frequente de Carlo Ancelotti, o jornal recorda que o jogador foi titular no último encontro do Bayern, derrota frente ao Hoffenheim por 1-0.
‘Uma exibição assustadora. Aos quinze minutos já tinha falhado quatro passes que deram em ataques perigosos do adversário’, diz o trabalho.”
[no ‘DN’, esta semana]

Renato Sanches, hoje, frente ao ‘Dortmund’, nem no banco do ‘Bayern’ está sentado.
Continuar a ler “Hoje Escreves Tu #8 – Melhores dias virão, Renato Sanches”

Os Truques da Bola

Já nem disfarçam a alegria quando souberam que o jogador ia ser titular. A primeira inclusão do ano (e já vamos em Abril) do jogador teve direito a honras de Estado por parte do Jornal A Bola. Da titularidade do português frente ao Hoffenheim não existiu nada para “vender” e tudo se consumou nisto. No quê? Sim, nas severas limitações deste jogador!

Jornalismo de sarjeta

A roçar o nível da sarjeta. Ou não viram pura e simplesmente, ou viram aspectos positivos que eu não vi da exibição do jogador. Não podendo afirmar nenhuma das duas, vou só simplesmente concluir que o artigo bem como a pontuação gentilmente oferecida ao jogador pelo referido órgão de comunicação social é parte integrante da mesma estratégia (paga para escrever bem) que lhe tem granjeado todo o hype e que o conseguiu vender pelo preço que foi vendido. Mas este tipo de situação não é nova no jornalismo português.

Denota-se desde há uns meses a esta parte uma estratégia bem montada por parte de alguém para levar os jornais a colocar na berlinda jogadores como Renato Sanches (todas as semanas vemos as notícias que a imprensa portuguesa planta sobre o jogador; quando as procuramos em alguns órgãos de comunicação alemães percebemos que as declarações que são atribuídas a jogadores, treinador e dirigentes do Bayern nunca foram proferidas), João Cancelo (que está a fazer uma época horrível) Bernardo Silva, Hélder Costa, Ivan Cavaleiro, André Silva, André Gomes, Pizzi, Gonçalo Guedes, Nélson Semedo, Ederson, Wallace, Nélson Oliveira, Soares. O que é que todos tem em comum? Sim. Isso. Precisamente. Sim. Está a seguir a linha de raciocínio correcta: todos eles são jogadores da Gestifute de Jorge Mendes. Até o “desaparecido” Fábio Coentrão, jogador que não é tido nem achado (literalmente no bolso de trás das calças de Zidane) tem vindo à baila nos últimos dias porque naturalmente, o Jorginho Mendes ainda precisa de facturar mais umas comissões com a eventual transferência do jogador para outro clube no final da época.

Como Gelson Martins não é um jogador agenciado por Jorge Mendes, de nada lhe valeu a fabulosa assistência de trivela para Cristiano Ronaldo – “comeu” com a mesma nota de um jogador que mal se sabe posicionar em campo e calou.

Já sabia que a Gestifute é uma das principais mecenas do jornalismo português. Contudo, fiquei a saber nos últimos anos que a Gestifute vai patrocinando os jornais desportivos portugueses e espanhóis à medida das suas necessidades. Trata-se de um jornalismo à la carta: ora escreves bem deste agora, ora escreves bem de outro depois e por aí adiante até que sejam todos despachados.

Hoje escreve o Mister #5

Por Pedro Sousa, Treinador de Futebol

Bernardo tem classe em cada toque de bola, Renato tem de perceber os espaços onde se movimenta e os ritmos de jogo da própria equipa mas tem potencial enorme!
O futuro com estes e outros está assegurado!
Saiba quem gere potenciar as suas características sem olhar a cores ou outros interesses, e teremos o presente e o futuro da nossa selecção para mais uns anos no top!
Muitos não conseguem perceber, que por muito potencial que um jovem tenha, a sua inexperiência em determinados momentos num colectivo faz a diferença, ainda mais quando existem adaptações necessárias para realizar um ajuste na equipa.
Muitos perguntam: mas o que é se deve fazer nesses casos?
A Integração gradual dos mais jovens num determinado contexto colectivo, sem perder a essência ao nível da maturidade do Todo!
Quem não entender isto, tem dificuldade de perceber futebol na sua profundidade e nos pequenos pormenores..