Projectos desportivos alicerçados em pés de barro; estruturas familiares; ambições que comprometem

Nas últimas duas décadas, a história provou como cíclica a descida à 2ª Liga de equipas que nesse mesmo ano disputaram ou estiveram em vias de disputar as competições europeias, como foi o caso do Arouca na presente temporada. Quando alguns adeptos de clubes pequenos me apontam que a sua equipa deveria ter um bocado mais de ambição para poder lutar pelos lugares europeus, respondo quase sempre com recurso a um leque de perguntas: a estrutura directiva é coesa e organizada? Existe algum planeamento desportivo a médio e longo prazo, capaz de promover uma ascensão salutar dentro de moldes sustentáveis? O clube tem um nível interessante de sustentabilidade financeira e é bem gerido? O treinador e o seu staff oferecem garantias de poder vir a realizar um bom trabalho? O clube têm uma formação devidamente estruturada, com bons treinadores, com equipas competitivas e é capaz de prover a equipa sénior todos os anos? Antes de se fazerem à estrada, alguns dirigentes devem ponderar necessariamente este parâmetros para aferir se os seus clubes têm efectivamente condições para poderem lutar por objectivos deste nível. Continuar a ler “Projectos desportivos alicerçados em pés de barro; estruturas familiares; ambições que comprometem”

Anúncios

Giro de Itália – Etapa 8 – A vitória de Gorka Izaguirre na chegada do Giro à costa do Adrático

A 8ª tirada da prova, com final marcado para a dura subida de 1km ao centro de Peschichi, pequena vila turística de 4500 habitantes na região da Puglia (pronvincia de Foggia) com vista privilegiada para o azul claro do mar Adriático convidava, devido à “ondulação” do terreno (188 km de puro sobe e desce) à eventual saída numa fuga de puncheurs ou de gregários de luxo das várias equipas.

Nas 3 fugas do dia, saíram homens com algum estatuto dentro das suas respectivas equipas. Se um dos fugitivos se tratou do próprio chefe-de-fila da Astana na prova italiana (o caça etapas Luis León Sanchez ), outros foram nem mais nem menos do que os principais gregários de luxo dos principais candidatos à vitória na geral individual, casos de Gorka Izaguirre (gregário de Nairo Quintana na Movistar) e Giovanni Visconti (gregário de Vincenzo Nibali na Bahrain-Mérida). Na subida final Gorka Izaguirre haveria de somar o seu primeiro triunfo no Giro, igualando o pecúlio particular na prova do seu irmão Ion Izaguirre (actualmente na Bahrain-Mérida).  Continuar a ler “Giro de Itália – Etapa 8 – A vitória de Gorka Izaguirre na chegada do Giro à costa do Adrático”

Giro de Itália – 2ª etapa – A vez de Greipel

A resposta de André Greipel ao fracasso obtido na etapa de ontem, ganha por Lukas Postlberger, não tardou. Na sua 22ª vitória em provas de 3 semanas, o alemão ganhou o direito de vestir pela primeira na sua carreira a camisola da liderança de uma grande prova. Os segundos de bonificação acumulados na etapa de ontem e na etapa de hoje permitiram ao alemão da Lotto-Soudal saborear um momento único, momento que de resto já merecia pela maravilhosa carreira que tem vindo a construir nos últimos anos.
Continuar a ler “Giro de Itália – 2ª etapa – A vez de Greipel”