Como não amar, Neymar?

Mesmo quando o “cordeiro” imolado na jogada é o nosso querido Seba Coates.

Anúncios