Os golos do dia

https://dailymotion.com/video/x63hkwf

Começo esta série de recortes pela vitória conquistada pela selecção checa no Azerbeijão (1-2). Num grupo decidido há 2 jornadas no que concerne aos lugares qualificáveis (a Alemanha confirmou ontem a sua natural qualificação directa para a Rússia ao bater a Irlanda do Norte por 1-3 em Belfast; a Irlanda do Norte seguirá ao que tudo indica para os playoffs, confirmando a ascensão que tem vindo a trilhar no actual cenário do futebol europeu desde há 5\6 anos a esta parte) o seleccionador checo Karel Jarolim aproveitou a deslocação até ao Estádio Olímpico de Baku para dar experiência internacional ao conjunto de jogadores com os quais vai decerto trabalhar nos próximos anos.

Ainda longe do altíssimo nível apresentado pelo glorioso elenco que compôs as históricas (finalista do Euro 96, p.e) selecções daquele país na última década do século XX e da primeira década do século XXI (autênticas constelações de estrelas do futebol europeu que tinham no seu elenco artistas como o guardião Petr Kouba, Jan Suchoparek, Pavel Nedved, Karel Poborsky, Pavel Kuka, Radek Bejbl, Pavel Srnicek, Patrick Berger, Vladimir Smicer, Tomas Repka, Jiri Nemec, Jan Koller, Tomas Rosicky, Marek Jankulovski, Milan Baros, Petr Cech, Tomas Galasek e Jaroslav Plasil) a nova formada de talentos do futebol checo, parece querer despontar novamente depois de um período de maior indefinição e erro, que foi amenizado contudo pela qualificação para o Europeu de 2016, beneficiando do alargamento do número de selecções promovido por Michel Platini. Continuar a ler “Os golos do dia”

Anúncios

Como manietar uma defesa para ter espaço para criar

 

A jogada do primeiro golo dos alemães contra os Norugueses, golo marcado há poucos minutos por Mezut Ozil.

Nos primeiros minutos do jogo de Estugarda, a selecção noruguesa tem-se preocupado mais com a sua atitude posicional (com um bloco recuado em 4x4x2) e menos com a possibilidade de pressionar intensamente a saída de jogo dos alemães a partir dos centrais. Posto isto, os centrais germânicos tem tentado chamar a pressão adversária (isto é: obrigar os norugueses a sair, erraticamente, das posições instituídas para pressionar mais a saída de jogo) com um início de construção muito pausado no qual tem trocado a bola entre si e com os médios Kroos e Rudy (formando um quadrado de circulação). A saída dos jogadores noruegueses na primeira fase de construção alemã, abre espaço para o passe vertical entre linhas. O jogador que entra no espaço (entre as linhas adversárias) pode imediatamente circular a bola para as alas visto que os laterais estão muito projectados no terreno.

Neste lance, o factor decisivo foi a súbita inversão de sentido de Toni Kroos. Sendo um destro a jogar mais encostado ao flanco esquerdo, o médio do Real tem mais facilidade para abrir jogo para o flanco oposto. Ao dar a entender que iria promover uma variação de flanco, o médio alemão engana toda a defensiva norueguesa porque a obriga a vascular. A subita mudança de sentido de jogo realizada pelo médio não só lhe garante a linha de passe para Hector como lhe permite criar (colocar a bola na entrada de Ozil em zona interior) sem qualquer oposição\pressão.

 

O golo do dia

Na primeira parte do jogo inaugural da Bundesliga na nova temporada, o Bayern venceu por 3-1. O futebol dos bávaros não foi o melhor, e até viveu, na 1ª parte, das facilidades concedidas pela estratégia de jogo montada pelo treinador dos farmacêuticos Heiko Herrlich. Nos primeiros 45 minutos, creio que a equipa de Leverkusen cometeu um erro estratégico que deu imenso conforto ao Bayern na partida ao pressionar (pouco e mal) à entrada do seu meio-campo. O plano de jogo idealizado por Herrlich permitiu a uma equipa que já por si gosta de sair a jogar com toda a segurança (a verdade é que tem imensos jogadores para o fazer; começando pelos seus centrais; no entanto, em cada transição, Vidal ou Rudy baixavam até aos centrais para receber a bola e iniciar o momento de construção) o domínio das acções a meio-campo. Aplicando a habitual circulação de bola de pé para pé (aliada à extrema mobilidade de todo o sector ofensivo) no corredor central à procura do espaço livre para entrar dentro do bloco adversário de maneira a poder flanquear o jogo para a projecção dos laterais (por vezes com o auxílio em terrenos interiores de Franck Ribèry e Thomas Muller) a formação bávara manietou o meio-campo da formação de Leverkusen. Não foram muitas as situações de perigo criadas pela formação de Ancelotti na primeira meia hora, mas, a progressão no terreno concedeu as oportunidades que os bávaros precisaram para construir a vantagem de 2-0. Em dois lances de bola parada aqui retratados ao segundo. Continuar a ler “O golo do dia”

Que estreia! Comprar bem, com critério, no mercado interno

10 minutos de jogo. The Hoffenheim Connection. Sempre que pesca no mercado interno, o Bayern compra bem.

Uma lição de competência

Joachim Low ganhou por completo a aposta realizada nesta Taça das Confederações. Ao apostar neste lote de jogadores, Low juntou às 13 ou 14 unidades que ficaram em casa a descansar, um novo lote de 15 opções para o próximo mundial, se não contarmos por outro lado, com o lote de possíveis convocáveis que a Mannschaft tem na sua selecção de sub-21. Ao  contrário de grande parte dos seleccionadores que irão à Rússia disputar o Mundial no próximo ano, Joachim Low terá um lote de opções a rondar as 40 unidades, algo que não só é profundamente admirável como poderá garantir a realização de um excelente trabalho e a obtenção de resultados.  Continuar a ler “Uma lição de competência”