Hoje Escreve o Mister #8

Por Pedro Sousa. 

Por muita qualidade colectiva que uma equipa tenha, sem individualidades que tragam a qualidade desejada para criar desequilíbrios ofensivos numa estrutura, as dinâmicas colectivas ficam demasiado limitadas do seu jogo, faltando a alternância na forma como resolve muitos momentos de jogo seja na construção, definição, ou na criatividade do seu colectivo!!

Cada jogador traz dinâmicas diferentes ao jogo, mas uns aumentam consideravelmente a qualidade colectiva de uma equipa com a sua qualidade individual, enquanto outros não acrescentam nada ao colectivo porque a sua qualidade individual não trás variação e imprevisibilidade no jogar da mesma ordem de ideias colectivas, que uma equipa em muitos momentos de jogo necessita no modelo adoptado.

Sem jogadores como Podence, Gelson, Salvio, Jonas, um Brahimi ou Corona, entre muitos outros com determinadas características numa equipa, a sua capacidade criativa num determinado padrão de jogo fica muito mais debilitada e torna-a regular na forma de jogar e muito mais fácil para os adversários anularem, afastando-a mais, por conseguinte, do sucesso desejado!
Por muita qualidade ao nível da organização que se tenha… fica como uma salada sem o tempero certo, e por muito bom cozinheiro que a tenha confeccionado, nunca integrará os melhores cardápios.

Mais uma vez… Christian Eriksen

Volto a ter que me repetir nos elogios que tenho feito semana após semana ao médio dinamarquês. É o verdadeiro abono de família desta equipa de Mauricio Pocchettino nos momentos de aperto, o que não foi o caso deste jogo porque o Tottenham esteve por cima durante todo o jogo. Mas, foi novamente o antigo jogador do Ajax quem puxou um coelho da cartola para abrir caminho para a vitória dos Spurs no derby londrino, mantendo acesas as esperanças da equipa de White Hart Lane quanto à conquista de um título épico pela qual o clube tem lutado nas últimas temporadas.

Análise: Braga 2-3 Sporting – O suspeito do costume

Jogo muito agradável de seguir em Braga. Bas dost resolveu o difícil, num jogo em que o “difícil” o foi por culpa própria do quarteto defensivo do Sporting (em especial do seu defesa esquerdo Marvin Zeegelaar) e pela extrema eficácia do Braga no contra-ataque, capitalizando em lances de perigo todos os erros cometidos pelo Sporting nas transições para o ataque. O avançado holandês recuperou com o seu hat-trick 3 dos 5 golos que detinha de atraso em relação a Lionel Messi, relançando a sua luta particular pela Bota de Ouro Europeia.
Continuar a ler “Análise: Braga 2-3 Sporting – O suspeito do costume”

Não faças isso, John Wall!

Que maravilhosa dança do base dos Wizards à frente de Isaiah Thomas no jogo 1 da série entre os Celtics e a equipa de Washington, jogo que ainda está a decorrer.

Se não é a melhor finalização da temporada…

//www.vsports.pt/embd/36827/m/263072/vsports/a24fb36d018548df1f9f3e0b6dace862?autostart=false

Karamanos do Feirense. Num lance em que a espectacularidade até poderia dar para dois lados, se Charles consegue dar aquela palmada na bola depois de um soberbo golpe de rins!

Derrota justa mas pesada para o Sporting

Ainda não foi desta que o Sporting se pode tornar campeão europeu. 6 anos depois da participação na última final, os leões sofreram uma pesada derrota por 7-0 frente ao Inter Movistar de Ricardinho. Este foi em 5 anos, o primeiro jogo em que a equipa leonina não marcou qualquer golo com Nuno Dias ao leme.

 

Créditos: Zona Técnica

Apesar de justa, a derrota é muito pesada para a falta de sorte que a equipa teve na 2ª parte quando jogava numa organização 5×4 com recurso ao guarda-redes avançado. Se até aos 4-0, o resultado explicou-se essencialmente pelas falhas defensivas leoninas, pelo maior ascendente ofensivo do Inter Movistar na partida, pela sua maior eficácia na finalização e quer queiramos quer não por um dedinho do árbitro romeno Bogdan Sorescu na marcação de algumas faltas inexistentes que carregaram o Sporting e pressionaram a equipa no sistema de pressão média (essencialmente linhas 2 e 3) que a equipa estava a realizar com alguma eficácia, a partir desse resultado, o mesmo foi-se avolumando graças ao natural aproveitamento de erros resultantes do sistema ofensivo utilizado pela turma leonina.

Por outro lado, o guardião Jesus Herrero faz um excelente exibição com 10 defesas e o Inter Movistar acabou por ter alguma sorte no capítulo dos ressaltos, quer no plano ofensivo quer no plano defensivo na oposição aos remates que a a equipa leonina ia fazendo da meia-distância.

Continuar a ler “Derrota justa mas pesada para o Sporting”

Jogada do dia

Das várias que vi hoje, a que mais me encantou foi a do golo do Boavista (Iuri Medeiros aos 66″) na vitória por 1-0 dos axadrezados frente ao Tondela no Bessa.

Dou de barato o péssimo posicionamento de vários jogadores do Tondela (com o lateral direito David Bruno à cabeça) na jogada assim como o facto de Pedro Nuno não ter conseguido acompanhar a entrada do lateral Tiago Mesquita (passou que nem uma flecha pelo antigo jogador da Académica) para fechar por dentro face ao movimento de Kaká. O momento de desequilíbrio foi obviamente criado pela desmarcação do maltês Andre Schembri, arrastando consigo o experiente central brasileiro, de forma a “criar o espaço” com que depois serviu, com inteligência, a entrada de Tiago Mesquita na área com um esplêndido passe de calcanhar.